Voluntárias produzem e reformam roupas para o Hospital Nossa Senhora das Dores

  • por

(Foto: arquivo)

Ajudar o próximo, dedicando parte do tempo, esforço e dedicação, sem esperar nada em troca. Afinal, o que pode motivar uma pessoa a fazer trabalho voluntário?

Na semana em que se comemorou o Dia Nacional do Voluntário, em 28 de agosto, conhecemos o Grupo Tecendo com Carinho  que com pano, agulha e disposição transformam  simples tecidos antigos, ou novos  em roupas para atender as necessidades do Hospital Nossa Senhora das Dores.

Em 2015, um grupo de senhoras iniciou este trabalho voluntário e solidário. No início o objetivo foi garantir as máquinas para o início do trabalho de confecção e os concertos. Após o primeiro desafio alcançado veio a outra conquista que foi a sala de costura. Hoje em uma sala própria em anexo ao Hospital, as mais de 13 voluntárias, que antes da pandemia do coronavírus contava com mais de 16, dedicam parte do seu tempo livre na  confecção e nos  concertos das roupas de cama e aquelas utilizadas pelos  profissionais que trabalham na casa de saúde.

E nestes anos,  esse trabalho voluntário tem sido marcado pelo amor e a dedicação que  é constante.  Após cada hora concertando ou confeccionando uma roupa, a felicidade de poder mais uma vez ajudar e saber trabalho voluntário é para quem quer mudar a si mesmo e está disposto a aprender, ajudando o próximo com amor.  O Grupo Tecendo com Carinho da Sala de Costura do Hospital Nossa Senhora das Dores é unanime em afirmar: “É muito gratificante”.