“Vereador há 16 anos, quero usar a minha experiência para governar a cidade”

  • por

O Jornal de Nova Odessa dá prosseguimento nesta edição à série de entrevistas com os candidatos a prefeito da nossa cidade. Já foram entrevistados os candidatos Dr. Lourenço, do PSDB, Jackson Candian (Avante), Thiago Beroco (PT), Dr. Nivaldo (Republicanos) e Tiago Lobo (PV). Nesta edição o entrevistado é o candidato Leitinho (PSD). As perguntas serão as mesmas para os sete candidatos.

JNO: GOSTARÍAMOS DE INICIAR ESSA ENTREVISTA COM UMA BREVE APRESENTAÇÃO DO SENHOR…

LEITINHO: Tenho 50 anos, sou médico veterinário e vereador há 16 anos. Fui o candidato mais votado para o Legislativo nas últimas eleições e venho me empenhando incansavelmente no combate à corrupção. Sou defensor de um modelo de governo mais humano e participativo e também da causa animal. Meu principal objetivo é cuidar da nossa gente como ela merece, com atenção especial para a população que mais precisa e que há muito tempo vem sendo esquecida. Desde a minha infância humilde, até conquistar uma cadeira na Câmara Municipal, venho convivendo de perto com os problemas da população. Percebo que as pessoas querem uma mudança na condução política da cidade. Por isso, me candidatei a prefeito. Agora, quero usar a minha experiência como vereador para governar a cidade. E fazer uma gestão para todos, em que a população tenha a oportunidade de definir as prioridades, de decidir como os recursos públicos serão gastos, através do orçamento participativo.

JNO: QUAL É O CENÁRIO QUE O SENHOR ENXERGA EM NOVA ODESSA ATUALMENTE?

LEITINHO: Eu vejo que, em Nova Odessa, o dinheiro público não vem sendo aplicado em benefício de todos, mas apenas para o interesse de alguns. Isso está “tirando o couro” da nossa gente e precisa acabar. Posso citar, por exemplo, a questão da habitação. Nos últimos 8 anos, a prefeitura aprovou mais de 30 empreendimentos de médio e alto padrão. O investimento no setor de construção foi alto, mas os interesses da população ficaram de lado. As famílias de baixa renda continuam sem acesso à habitação. No meu governo, vou cuidar bem das pessoas. É isso o que está faltando em Nova Odessa. Vou reconquistar o respeito que o povo merece e colocar a cidade nos trilhos do desenvolvimento sustentável com justiça social.

JNO: NA SAÚDE, QUAIS SÃO OS SEUS PROJETOS?

LEITINHO: Em primeiro lugar, vou fechar a torneira da corrupção, diminuindo cargos e salários dos comissionados, que hoje geram uma despesa de mais de R$ 15 milhões, e analisar todos os contratos da prefeitura. Com essa economia, vou instalar a UTI no Hospital, atendendo uma necessidade antiga da população de Nova Odessa que não pode mais ser adiada. Ao lado disso, tomarei outras medidas para melhorar os cuidados básicos e diminuir a procura pelos serviços de urgência e emergência. Com isso, desafogaremos o agendamento e adequaremos a espera. Fazem parte dessas medidas estender o funcionamento das UBS’s no Alvorada e no Nossa Senhora de Fátima até às 21 horas para facilitar o atendimento de quem trabalha. Também vou implantar o programa Remédio em Casa, para os idosos, pessoas acamadas e com doenças crônicas. Outras ações são ampliar a oferta de exames e procedimentos através de credenciamento ou contratação de clínicas e laboratórios; ampliar a cobertura de Saúde da Família para atendimento preventivo à população e intensificar ações de saúde da mulher, saúde do trabalhador, saúde mental, envelhecimento saudável, cuidados e prevenção de doenças crônicas. No conjunto, essas providências vão colocar a saúde de Nova Odessa nos eixos.

JNO: E NA EDUCAÇÃO? O QUE O SENHOR PRETENDE FAZER?

LEITINHO: Vou dar apoio total às mães trabalhadoras, atendendo 100% das crianças até 3 anos nas creches, em período integral. E na pré-escola, vou melhorar o currículo e aumentar o tempo de permanência dessas crianças na escola. No Ensino Fundamental, também vou aumentar as escolas de tempo integral e promover a inclusão digital para todos os alunos, equipando os laboratórios de Informática em todas as escolas do município. E é claro, vou valorizar os profissionais da educação, porque sem eles não se faz educação de qualidade. Aliás, quero parabenizar todos os servidores da rede municipal de educação pelo aumento do IDEB em Nova Odessa, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Vou reconhecer esse e forço e apoiar os profissionais da educação com a criação do Centro de Formação para Professores. E também vou criar o Núcleo Multidisciplinar, para atendimentos de alunos.

JNO: GOSTARIA QUE O SENHOR FALASSE DA QUESTÃO HÍDRICA...

LEITINHO: Novamente, voltamos à questão dos empreendimentos imobiliários que foram autorizados em Nova Odessa. É um número muito alto de construções para uma cidade do porte da nossa. E a prefeitura não fez nenhuma obra para aumentar a capacidade de captação de água. Agora, esses novos empreendimentos estão atraindo pessoas de fora para morar aqui e vai faltar água. Esse foi um dos principais motivos que eu saí candidato a prefeito. Precisamos mudar esse quadro urgentemente, viabilizando a construção de outra represa, porque a atual não vai dar conta. Além disso, vou desassorear e aumentar a capacidade de captação de água das represas existentes. Nova Odessa, que já foi destaque na região pela qualidade de sua água, agora se encontra nessa situação lamentável pela irresponsabilidade do poder público. E resolver essa situação é meu compromisso.

JNO: DADOS DO CAGED DE AGOSTO MOSTRAM QUE NOVA ODESSA VEM CONSEGUINDO SE RECUPERAR DA CRISE PROVOCADA PELA PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS, JÁ QUE FOI A CIDADE DA REGIÃO QUE MAIS CRIOU POSTOS DE TRABALHO NAQUELE MÊS. NESTE CONTEXTO, QUAIS SÃO AS SUAS PROPOSTAS PARA A GERAÇÃO DE EMPREGOS EM NOVA ODESSA?

LEITINHO: De acordo com o levantamento da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), do PEA (População Economicamente Ativa) e do Mão de Obra Ocupada, nos cinco primeiros meses deste ano, Nova Odessa teve a maior taxa de desemprego entre as cidades da RPT (Região do Polo Têxtil). Nosso índice está em 17%, acima do nível de desemprego nacional do último trimestre (março a maio), que foi de 12,9%. Por isso, a geração de emprego e renda tem que ser tratada como prioridade. Minha estratégia será fomentar o empreendedorismo e a economia solidária para gerar oportunidades que dinamizem a economia municipal e promovam desenvolvimento com inclusão social. É claro que precisamos dar incentivos para atrair novas empresas. Essa será uma prioridade do meu governo. Mas também vou contemplar outras possiblidades de fortalecimento da economia do município para garantir a superação das desigualdades. Um exemplo, é a criação de oficinas para mulheres voltadas à confecção de uniformes escolares, fralda para adultos acamados e para integrar os Kits a serem entregues às mães na alta hospitalar do pós-parto. Também queremos incentivar a criação de cooperativas de serviços e oferecer treinamento para que elas se qualifiquem à prestação de serviços ao município. Outras medidas serão a ampliação da política de microcrédito para pequenos empreendedores; a organização do comércio informal de ambulantes; a ampliação de cursos de capacitação profissional aos jovens e trabalhadores e o fortalecimento das atividades produtivas no meio rural.