Pular para o conteúdo

Tribuna do Norte – Soluço da inflação

Luiz antônio felipe 

laf@tribunadonorte.com.br

A inflação oficial pelo IPCA em 12 meses dispara 8,35% e atinge o maior nível em quase cinco anos. Pode ter sido a última alta, pela tendência de queda que vem apresentando nos últimos dias. De qualquer forma já compromete a próxima reunião do Copom, dia 4 de setembro, para reajustar os juros. A energia elétrica e os combustíveis mantiveram a inflação oficial brasileira sob pressão em junho. Em junho, o IPCA teve alta de 0,53%, contra 0,83% em maio, diz o IBGE.

PROJEÇÃO 

A maior variação no mês ficou com vestuário, de 1,21%, enquanto comunicação teve queda de 0,12%. Segundo o BC, o cenário-base aponta IPCA de 5,8% em 2021 e de 3,5% para o próximo ano, enquanto as estimativas na última pesquisa Focus são respectivamente de 6,07% e 3,77%. A visão para a no levantamento é de 6,5% este ano e 6,75% no próximo.

SAFRA

Com dados de junho, o IBGE prevê safra de 258,5 milhões de toneladas para 2021. Já a Conab estima uma colheita de 260,8 milhões de toneladas na safra 2020/2021. É o Brasil caminhando para chegar aos 300 milhões de toneladas de alimentos em uma safra, sem desmatar mais nada, apenas com mais tecnologia no campo.

AVANÇO

A indústria cresce em maio em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE. Com alguns detalhes como a produção da indústria têxtil e de vestuário subindo mais de 36% até maio. A produção de motocicletas também cresceu 45% no primeiro semestre de 2021. Enquanto isso, o ministro Paulo Guedes quer cortar até R$ 40 bilhões em subsídios para baixar mais Imposto.

COTAÇÕES 

O Ibovespa fecha em queda (-1,25%) e acumula perda na semana com exterior e cena política. Após superar R$ 5,30, dólar passou a cair após BC vender swap pela 1ª vez desde março. O dólar teve alta de +0,29% a R$ 5,26. O euro fechou a R$ 6,225, uma alta de +049%.  O petróleo (WTI) em alta de +0,94%, por U$ 73,11.

COMÉRCIO X VOLUME 

As vendas de maio sobem no RN, mas acendem sinal de alerta sobre retomada do comércio no estado. A evolução no mês que teve Dia das Mães foi menor que em abril e deixou o RN em sexto lugar no Nordeste e abaixo da média nacional no ranking do comércio varejista ampliado. O crescimento de vendas no Rio Grande do Norte foi de 1,8% no Comércio Varejista Ampliado (que inclui Materiais de Construção e Automóveis) no mês de maio, em comparação com abril. Na segmentação das vendas, os setores de vestuário e calçados e de lojas de departamentos, outros artigos de uso pessoal e doméstico foram os únicos com desempenho animador em maio, com respectivamente 16,8% e 6,7%.

INCENTIVO 

O presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, diz que a posição do RN quando comparada com os demais estados da região “mostra que precisamos de ações que incentivem, de fato, a aceleração do processo de retomada das atividades econômicas”.

REPASSE 

O adicional de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) chega aos R$ 5 bilhões. O valor foi creditado ontem nas contas das prefeituras. O FPM beneficia as regiões mais pobres, fazendo justiça na distribuição dos recursos públicos.  

PRIVATIZAÇÃO 

Mais uma rodovia federal privatizada. A BR 163, entre o Mato Grosso  e o Pará, teve o seu trecho de mil quilômetros arrematado em leilão pelo consórcio Via Brasil, formado por um grupo de empresas de infraestrutura e engenharia. A oferta de deságio foi de 8,09% sobre o valor máximo de pedágio definido no edital.

MUNDO 

Nos Estados Unidos, os pedidos de auxílio-desemprego têm alta inesperada, logo agora coma economia pegando o rumo do crescimento e a vacinação acelerada. Dizem até que falta mão de obra especializada. Se não faltar agora, vai faltar no futuro com o arrojado plano de investimento do governo Biden.

CHOCOLATE

 A indústria do chocolate também se fortalece e mira na retomada do setor. Apesar da pandemia, os dados apontam um fortalecimento na produção e retomada de investimentos da indústria. No Brasil, no primeiro trimestre de 2021, a produção de chocolates foi em 189 mil toneladas, um aumento de 23% em relação a igual período de 2020.

CARTÃO 

Apesar das modalidades de pagamento por meio de crédito e de débito serem as mais caras, os empreendedores usam cada vez esses equipamentos, em mais de 40%, em um período de cinco anos. Em 2016, 39% dos pequenos negócios usavam maquininha. Em 2021, esse número saltou para 56%, de acordo com levantamento do Sebrae. 

PREVISÃO 

Os meteorologistas dos Estados Unidos e da Austrália, com base no comportamento do Oceano Pacífico, estão prevendo uma nova formação do fenômeno La Niña para o segundo semestre de setembro a dezembro. Uma repetição do ocorrido em 2020.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.