Trabalho solitário, antes e depois da pandemia. Uma costureira em tempos de crise

  • por

Depois de uns ensinamentos como modista e costureira em Lisboa, regressou a Bragança para cumprir a profissão que a preenche. Ester Torrão tem um espaço próprio onde a maior parte do trabalho se centra em fazer peças por medida. A Covid-19 e o confinamento não afetaram em nada a costureira que gosta de trabalhar sozinha e de satisfazer as suas clientes com peças únicas.