‘Top 3’ na RMC, Nova Odessa é a cidade da RPT que mais gera empregos

Em meio à retomada econômica, Nova Odessa é a cidade com menos de 100 mil que mais gera empregos na RMC (Região Metropolitana de Campinas) e a terceira no ranking geral do grupo metropolitano, formado por 20 municípios. A informação é do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado na quartafeira (30) pelo Ministério da Economia, com base em dados de agosto.

Com 479 novos postos de trabalho abertos, o ‘Paraíso do Verde’ obteve o maior saldo da RPT (Região do Polo Têxtil), à frente – pela ordem – Hortolândia, Santa Bárbara d’Oeste, Sumaré e Americana. De acordo com dados do Caged, as 479 vagas geradas em Nova Odessa foram distribuídas entre os setores da indústria (288 vagas), serviços (167) e comércio (34). No período, foram contabilizadas 1.005 admissões contra 526 desligamentos.

O saldo é quase oito vezes maior que o registrado em agosto de 2019, quando as empresas da cidade abriram 63 empregos. Foi o melhor saldo para o mês na série histórica iniciada em 2003. Foi o segundo mês consecutivo da retomada do emprego na cidade. Depois de quatro meses no vermelho (março, abril, maio e junho), com fechamento de 1.588 empregos, o mercado local reagiu em julho, com 254 novas oportunidades de trabalho.

Com 60,9 mil habitantes, segundo estimativa divulgada em agosto pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Nova Odessa só gerou menos empregos que Campinas (1.838 vagas), que tem mais de 1,2 milhão de habitantes, e Paulínia (778), com 112 mil moradores. O município administrado pelo prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza (PSDB) superou cidades mais populosas como Americana (98), com 242 mil moradores, Indaiatuba (446 vagas), com 256,2 mil habitantes, Sumaré (358), 286,2 mil pessoas.

Em postagem nas redes sociais, o prefeito Bill comemorou o resultado. “Esses números divulgados pelo governo federal mostram que estamos, com muito trabalho, conseguindo sair da crise provocada pelo novo coronavírus e que a tendência é voltarmos em breve ao mesmo patamar registrado antes da pandemia”, escreveu o chefe do Executivo. A secretária de Desenvolvimento Econômico e Gestão Social, Regina Pocay, reiterou a avaliação do prefeito e analisou a economia local. “Em fevereiro, criamos 409 empregos. Vínhamos de um ano bom, de recuperação econômica, e 2020 tinha tudo para consolidar essa retomada. Os números de agosto mostram que o mercado está readquirindo ritmo. Enquanto poder público, temos buscado alternativas, como cursos de capacitação e linhas de crédito, para dar suporte aos empresários nesse momento”, afirmou Regina.

No Brasil, foram criadas 249.388 vagas de emprego com carteira assinada em agosto. O saldo é resultado de 1.239.478 admissões e 990.090 demissões registradas no período.

Saldo de empregos em agosto na RMC

1. Campinas – 1.838
2. Paulínia – 778
3. Nova Odessa – 479
4. Indaiatuba – 446
5. Hortolândia – 354
6. Vinhedo – 335
7. Valinhos – 282
8. Santa Bárbara – 277
9. Itatiba – 275
10. Sumaré – 258
11. Jaguariúna – 214
12. Pedreira – 185                                                                                                                                  13. Monte Mor – 157
14. S. A. Posse – 107
15. Americana – 98
16. Cosmópolis – 86
17. Morungaba – 62
18. A. Nogueira – 2
19. Holambra – 8
20. E. Coelho – 4

Fonte: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Economia