Blog

Têxtil de Vilarinho investe 10 milhões num novo hotel em Lisboa

O grupo Endutex, um dos maiores produtores mundiais de têxteis técnicos revestidos e dono dos hotéis da marca Moov, acaba de lançar a primeira pedra da sua primeira unidade hoteleira na capital, que terá oito pisos e com inauguração prevista para o próximo ano.

Criado em 1970, em Vilarinho, concelho de Santo Tirso, por José António Magalhães, começou a operar apenas com uma máquina na impermeabilização de tecidos fornecidos pelos seus clientes.

 

Hoje é um das maiores produtoras mundiais de têxteis técnicos revestidos, com unidades industriais em Portugal (Santo Tirso, onde detém a sede) e no Brasil, e filiais em Espanha, Alemanha, Polónia, República Checa, Hungria e Estados Unidos. Emprega mais de 600 pessoas e exporta a esmagadora maioria da produção.

 

Entretanto, nos últimos anos, o grupo Endutex tem vindo a diversificar as suas áreas de negócios, através de fortes investimentos no imobiliário e na hotelaria.

 

Lançou a marca hoteleira “low-cost” Moov, tendo quatro em operação em Portugal – no Porto, Matosinhos, Oeiras e Évora – e um no Brasil, em Curitiba.

 

Agora, em plena pandemia, acaba de lançar a primeira pedra daquele que será o primeiro Hotel Moov da cidade de Lisboa, localizado no Parque das Nações, num projeto orçado em 10 milhões de euros e que tem inauguração prevista para o próximo ano.

 

Batizado de Moov Oriente, a quinta unidade hoteleira do grupo em Portugal vai ser também a maior, com um total de 180 quartos disponíveis.

 

Uma aposta estratégica, “já que nesta zona, conhecida pelo grande movimento de passageiros que chegam do aeroporto, mas também da estação ferroviária e rodoviária, a procura ainda é maior que a oferta. Por outro lado, sentimos que há poucas soluções a preço justo, pelo que queremos preencher essa lacuna”, afirma André Ferreira, administrador da Endutex, em comunicado.

 

“Num momento em que o setor hoteleiro enfrenta grandes desafios”, o grupo Endutex “reitera a confiança na sua ambiciosa estratégia de crescimento”.

 

“Temos em carteira vários projetos para este segmento, não apenas com a abertura de novos hotéis, mas sobretudo na introdução de novos conceitos de alojamento, que serão anunciados em breve. Os nossos clientes estão diferentes, pelo que é muito importante repensar estratégias, melhorar conceitos e preparar o futuro da hospitalidade”, explica André Ferreira.

 

 

 

 

Fonte: Jornal de Negócios