Blog, Costura

Saudades de ‘Black mirror’? Vale ver ‘Dark/web’, série da Amazon

‘Dark/web’, série da Amazon Prime (Foto: Reprodução)

 

Saudades de “Black mirror” e afins? Vale procurar “Dark/web”, disponível na Amazon Prime Video. Indicada a sete prêmios Emmy, a série explora os aspectos mais assustadores da evolução da tecnologia — como as possibilidades de controle do indivíduo.

A trama não se passa num futuro distópico. É aqui e agora, só que num submundo virtual misterioso. A ação se desenrola em Los Angeles e vai sendo construída em várias pontas e subtramas. Um arco dramático maior costura tudo. Molly Solis (Noemi Gonzalez), uma analista de segurança cibernética, desaparece. Entendemos que ela está aprisionada em algum cafundó da internet e precisa de ajuda. A moça manda mensagens para ex-colegas de escola. Elas trazem um conto anexado e são, por sua vez, uma armadilha. O grande mistério — quais as razões do sumiço de Molly — atravessa tudo.

Somos apresentados primeiro ao jornalista Ethan (Brian Elerding), que desperta no sofá de casa, em meio a copos vazios e outros sinais de uma noitada animada. A ex-namorada, por quem ainda é apaixonado, liga pedindo para ele checar seu e-mail. Lá, o rapaz encontra um recado de Molly. O conto que Ethan recebe é a aventura do capítulo de estreia. Ele narra o drama de um pai de família desempregado que vira motorista de aplicativo. Enquanto dirige, recebe ordens de uma voz feminina pelo celular. Ela pede que ele ataque seus passageiros. O jogo de cyber-paranoia eletriza.

“Dark/web” tem oito episódios de menos de meia hora, um formato que convida à maratona. É ambiciosa, mas não tem a musculatura nem o pioneirismo de “Black mirror”. Ainda assim, distrai e merece a sua atenção.

SIGA A COLUNA NAS REDES

No Twitter: @PatriciaKogut

No Instagram: @colunapatriciakogut

No Facebook: PatriciaKogutOGlobo