Pular para o conteúdo

Revogada prisão de engenheiro acusado de golpe em plataforma de vendas na internet · Jornal Midiamax

  • por

A juíza May Melke Amaral Penteado Siravegna, da 4ª Vara Criminal de Campo Grande, revogou a decretação da prisão preventiva de um engenheiro têxtil acusado de golpe na venda de duas bicicletas. Ele agiu por meio de plataforma de negócios na internet e, segundo a Polícia Civil, pode estar ligado a outros crimes do tipo.

Conforme investigações da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), em 2012 o autor anunciou duas bicicletas pelo valor de R$ 1 mil. Dois consumidores gostaram do produto, acharam o preço em conta e decidiram fechar negócio. Eles entraram em contato e pagaram boleto bancário.

No entanto, jamais receberam os produtos e nem tiveram os valores reembolsados. Após várias tentativas de contato, mas sem sucesso, as vítimas acionaram a Derf que identificou o golpista. Ele, inclusive, usava a conta da esposa para receber o pagamento dos golpes. Assim, foi denunciado à Justiça e preso.

Neste sentido, ingressou com pedido de revogação da prisão preventiva, que foi deferido pela juíza. “No caso apresentado, o requerente teve sua prisão preventiva decretada, com fundamento na conveniência da instrução criminal e na aplicação da lei penal, pois não compareceu pessoalmente aos autos, mesmo citado por edital.Não obstante, diante do comparecimento espontâneo do réu e seu compromisso de participar dos autos processuais, entendo que não subsistem os motivos para manutenção do decreto de prisão preventiva, tampouco de imposição de outras medidas cautelares”, disse em sua decisão.