Blog, Costura

Produtos natalinos já chegam às lojas “apressando” o fim de 2020

Diário de Cuiabá

Grandes lojas de departamento, armarinhos e supermercados já estabeleceram espaços próprios para produtos da época

Desde que começou a pandemia da Covid-19, tem-se a sensação de que 2020 é um ano perdido, que poderia ser banido do calendário.

Quem não gostaria de esquecer 2020 e o sofrimento que trouxe às familiares que perderam parentes e amigos para o coronavírus?

Infelizmente,  esse desejo não pode se realizar.

O que há de real, concreto, é que o fim do ano está chegando.

Um dos indicadores dessa proximidade são os produtos natalinos de decoração e alimentos, que começaram a ser expostos no comércio.

Grandes lojas de departamento, armarinhos e supermercados já estabeleceram espaços próprios para produtos da época.

Mas, permanecem as incertezas quanto às confraternizações típicas com amigos e familiares, mesmo porque não há garantia sobre a segurança dos festejos, sem riscos de transmissão do coronavírus.

Na loja Poesy, atacadista especializada em produtos de decoração, costura e artesanatos, a cores fortes do Natal saltam aos olhos do consumidor.

Já nos supermercados, o que chama a atenção são os panetones, um dos grandes símbolos natalinos.

O superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá, Fábio Granja, reforça que 2020 tem sido um ano atípico, especialmente o primeiro semestre.

No comércio, diz, o varejo, como as lojas de departamento, confecções, calçados, perfumaria, eletrônicos, entre outras, foi o setor mais afetado pela pandemia. 

Já em alguns segmentos, com os de farmácias e lojas de materiais de construção, lembra o superintendente, as vendas aumentaram, superando 2019.

De acordo com Granja, a partir de setembro, o comércio retomou as vendas e as expectativas melhoraram.

Depois do Dia das Crianças, uma data importante em vendas, as atenções dos empresários se voltam para o Natal, melhor data para o setor.

Nesse primeiro momento, observa Fábio Granja, a exposição dos produtos natalinos não leva à garantia de vendas.

Na análise dele, isso significa oportunidade para o consumidor planejar a decoração e pesquisar presentes.

Vendas mesmo, avalia, somente a partir do pagamento do 13º salário, que começa na segunda quinzena de novembro. Fábio Granja observa que uma pesquisa da CDL Cuiabá apontou otimismo, apesar das incertezas.

O resultado mostra que 55% dos empresários do comércio acreditam que as vendas para o Natal 2020 vão superar 2019 em cerca de 20%.

Seguindo por esse mesmo caminho do otimismo, porém mais contido, Granja diz que a CDL é mais contida, faz previsão de crescimento nas vendas de pouco mais de 5% em relação a 2019.  

Para que isso se confirme, a CDL Cuiabá estará promovendo campanhas de valorização do comércio local com sorteio de prêmios (carros, motos, vales compras, entre outros) para atrair os consumidores.

A dona de casa Ana Maria dos Anjos Pereira, 55 anos, conta que não resistiu aos encantos do Natal e já fez sua primeira “comprinha”, como definiu.

“Só uma toalha de mesa e um jogo americano”, diz, observando que, depois, no final de novembro, volta às compras natalinas