Blog, Costura

Procura por cursos online dispara na pandemia

Isolamento social e crise econômica estimularam os brasileiros a buscar novas qualificações

A pandemia do novo coronavírus acelerou transformações que já vinham acontecendo em alguns segmentos. Um dos mais impactados, sem dúvidas, foi o e-commerce, que cresceu em um ritmo nunca antes visto no Brasil. Outros setores, no entanto, também precisaram se adaptar a essa nova realidade, e têm crescido nesse novo cenário. É o caso do mercado de cursos online.

Mercado em ascensão

Nos últimos meses, educação e tecnologia têm caminhado cada vez mais próximas. De acordo com a Unesco, 1,37 bilhão de estudantes em todo o mundo precisaram ficar longe das salas de aula por conta da Covid-19, e milhões deles passaram  a estudar remotamente, por meio de tecnologias como Google Classroom e Zoom.

Uma pesquisa realizada no ano passado pela Pearson com mais de 11 mil alunos em 19 países indicou que esse cenário de ruptura no ensino já estava se desenhando: 68% dos entrevistados concordaram que um diploma ou certificado de uma faculdade profissionalizante ou escola comercial tinha mais probabilidade de resultar em um bom emprego com perspectivas de carreira do que um diploma universitário.

Três em cada quatro pessoas ouvidas também disseram acreditar que precisam continuar estudando depois da faculdade para permanecerem relevantes no mercado de trabalho. Entre os profissionais empregados que optaram por educação continuada, muitos foram para o caminhos dos cursos online. Em agosto deste ano, a Pearson repetiu a pesquisa, e o interesse pela educação alternativa se manteve forte.

Busca por qualificação aumenta com a crise

Com o isolamento social, essa tendência se acentuou. A Hotmart, plataforma com 20 milhões de usuários e mais de 260 mil cursos, mais que dobrou de tamanho em 2020. “Apenas esse ano, foram contratadas 270 pessoas em diversas áreas, a maioria durante o período de home office trazido pela pandemia. Ao todo, temos mais de 750 funcionários no mundo e 170 vagas abertas”, diz a assessoria de imprensa da Hotmart.

A empresa foi nomeada como única da América Latina escolhida entre as 50 com maior impacto global no ensino por meio da tecnologia (GSV Global EdTech 50), e está expandindo sua atuação nos EUA, Espanha, Colômbia e México, entre outros países.

De acordo com a Hotmart, com a pandemia, a demanda de capacitação e novos aprendizados aumentou muito, inclusive por pessoas que nunca tinham feito cursos online antes. Entre as principais vantagens apontadas por quem adere a cursos virtuais de menor duração, estão a acessibilidade, a relevância dos conteúdos e a programação flexível.

Além disso, muitos profissionais passaram a gerar renda sem sair de casa, criando seus produtos digitais, e passaram a impactar muito mais pessoas do que conseguiam apenas nas experiências presenciais. Apenas entre os meses de março a maio de 2020, o número de transações na plataforma cresceu mais de 70%.

“Criamos dois produtos novos para atender às novas necessidades do público trazidas pelo isolamento social: as transmissões online, usadas para reuniões virtuais, e uma ferramenta para professores poderem dar suas aulas ao vivo, um mercado que também cresceu nesse período”, diz a assessoria.

A plataforma também precisou reforçar sua infraestrutura para apoiar e suportar  o crescimento da demanda. A busca maior tem sido por conteúdos ligados a empreendedorismo, cursos de finanças pessoais, bem-estar e requalificação profissional, mas outros cursos mais específicos, como confeitaria, costura e conserto de eletrodomésticos também têm feito sucesso.


+ Notícias 

O ensino híbrido é o futuro da educação pós-pandemia?

Perdeu o emprego na pandemia? Saiba como se recolocar no mercado de trabalho