Podcast ‘Corte e costura’ apresenta mulheres apagadas da história

  • por

postado em 09/11/2020 10:11 / atualizado em 09/11/2020 10:11


(crédito: Thiago Peixoto e Marcos Messias/Divulgação)

Os professores, de Belo Horizonte, João Ítalo, Graziane Andrade, Marcos Messias e Thiago Peixoto, criaram o podcast Corte e costura para auxiliar nas aula. Na primeira temporada intitulada Mulher de quem?, composta por dez episódios, o grupo optou por trazer mulheres que fizeram a diferença no século 19 e foram apagadas da história.

“A ideia é que seja um projeto para tornar a sala de aula um pouco mais dinâmica”, afirma João Ítalo, professor de história desde 2009, sobre o podcast servir como uma ferramenta de ensino. “Surge também para suprir a falta de material legal, que traga essas mulheres a cena, porque muitas vezes os livros didáticos não contemplam essas histórias”, complementa a historiadora brasiliense Graziane, que mora em Belo Horizonte.

A equipe é formada por João Ítalo, Graziane, Thiago, também professor de história, e Marcos, que é da área de biologia. Os quatro se conheceram por meio da licenciatura, isto é, em uma escola, e pensaram no nome Corte e costura por se retratar de recortes na história, com os devidos remendos do que não foi contado.

Corte e costura e a temporada Mulher de quem?

Em uma busca para um nome da temporada, Mulher de quem? surge como uma provocação de que toda figura feminina deve estar relacionada a um homem. Com duração média de 30 a 40 minutos, os professores convidam os ouvintes para uma conversa descontraída, como se fosse um papo durante o café da tarde. Os episódios localizam temas e acontecimentos históricos.

No primeiro episódio, as personagens são Maria Quitéria e Maria Felipa, figuras centrais no processo de Independência do Brasil. O segundo é marcado pelo Dia dos Professores e homenageia as jornalistas, tradutoras e mestras Nísia Floresta e Leondina Daltro. O terceiro foca no cenário de guerra e nas enfermeiras Ana Neri e Florence NIghtingale. Os demais sete episódios ainda serão lançados.

Por trás do podcast

Corte e costura foi criado na quarentena e teve todos os testes para que a gravação ocorresse a distância, por meio de aplicativos. Depois de tentarem todos os apps, o encontro presencial foi pensado na casa de algum dos professores, uma vez que se encontravam em isolamento total.

“Botamos um celular em cima de uma cadeira e fica todo mundo em volta gravando”, explica Graziane. O podcasta é gravado na casa de Marcos, por ser a mais silenciosa, e ocorre de forma simples e natural, sem que necessite de toda uma aparelhagem. As novidades podem ser acompanhadas pelo Instagram @re_corteecostura.

*Estagiária sob supervisão de Adriana Izel