Pular para o conteúdo

Os pequenos produtores de vinho na Feira Naturebas – Paladar – Blog Ceará Máquinas



Procurando Máquinas de Costura com Qualidade, e Garantia?
Siga-nos no instagram!

A Clos Santa Ana é um pequeno projeto vinícola no vale de Colchagua, no Chile. O embaixador chileno Roberto Ibarra e o vinhateiro brasileiro Luiz Allegretti se encantaram com o local, que tinha um vinhedo abandonado, uma casa em adobe quase destruída pelos diversos terremotos e um solo exaurido por décadas de cultivo de arroz. Lá decidiram realizar os seus sonhos vinícolas – o avô de Allegretti foi um dos fundadores da vinícola gaúcha Rio Grandense no começo do século 20, e o DNA vínico corre nas veias da família.

Conseguiram elaborar a primeira safra em 2015, com uvas de um pequenino vinhedo de 1,3 hectare, cultivado com carmenère, principalmente, e também cabernet franc e malbec, e alguns quilos de uva comprado do vinhedo orgânico do amigo François Lurton. E assim seguia a vinícola se não fosse o imponderável do vinho.

“Fazendo a prova mensal de um barril, cujo mosto havia se evaporado mais do que o comum, notamos que sobre a superfície havia se formado um sutilíssimo véu, que recordava muito um refinado bordado”, conta Allegretti. Este véu, como poeticamente chamam os enólogos, na verdade são micro-organismos que protegem o vinho do contato com o oxigênio. É o mesmo fenômeno que acontece com os brancos de Jerez, na Espanha.

Lis Cereja, que promove a feira Naturebas Foto: Lis Cereja

Nascia assim o Velo e, depois, o Flor de Sal, dois rótulos que vem se destacando nesta pequena produção da vinícola. O Velo, que deve chegar até o final do ano no Brasil, importado pela La Gruta e ainda sem preço definido, foi um dos destaques da feira Naturebas, realizada nos dias 18 e 19 de junho em São Paulo. “É um belo projeto e o destaque é o vinho com véu”, afirma a somelière Daniela Bravin, que já visitou a propriedade e provou o vinho, elaborado apenas com a pinot noir, na feira.

Em sua décima edição, a Naturebas é a parada obrigatória para quem aprecia ou quer conhecer mais sobre os vinhos elaborados sem produtos de síntese (como pesticidas, fungicidas, hormônios etc.) e de acordo com filosofias de menor intervenção, como os orgânicos, biodinâmicos e os naturais. No caso do Clos Santa Ana, e de vários outros rótulos, a opção é por não certificar o vinhedo como orgânico, apesar de praticar este cultivo.

A história do Clos Santa Ana exemplifica o que é a Naturebas, que nasceu pequenina no sonho de Lis Cereja, dona da Enoteca Saint VinSaint, em 2013, com o objetivo de aproximar o consumidor de vinhos dos produtores, sem intermediários. Neste ano, participaram 112 expositores, entre importadores, 29 produtores internacionais e 28 brasileiros. Em sua maioria, são pequenos projetos vinícolas cheios de histórias para contar.

Um exemplo era o Jardín Oculto, que atraia pelo inusitado de elaborar vinhos no vale de Cinti, na Bolívia, com uvas criollas centenárias. Ou a Bodega Murga, no vale de Pisco, no Peru; ou a portuguesa Casa de Mouraz, que chega ao catálogo da Belle Cave. Ou os vinhos de Eduardo Zenker, brasileiro que soube se reerguer depois de problemas com o Ministério da Agricultura, entre outras muitas histórias de empreendedorismo e paixão pelos vinhos.

Para quem gosta das histórias dos pequenos produtores e seus vinhos de pouca intervenção, seja no vinhedo, seja na vinícola, a 11a edição da Naturebas acontecerá entre 24 e 25 de junho do ano que vem, na Ocupação Nove de Julho, em São Paulo.

Fonte paladar.estadao.com.br

Todos os direitos reservados a seus autores

Conteúdo indexado da Internet de postagem pública

Caso deseje a remoção, envie este link e a prova de autoria para nosso email para exclusão.

Falar com Atendente
Fale Conosco
Oi!

Estamos aqui para lhe atender.

Vi que você quer saber sobre
Os pequenos produtores de vinho na Feira Naturebas – Paladar – Blog Ceará Máquinas.

Como podemos ajudar?