Pular para o conteúdo

O que é margem de contribuição e qual a importância dela para o negócio

  • por

Por Paula Bazzo, planejadora financeira

Imagine que você é dono de uma loja de camisetas. Você vende seu produto a R$80/unidade e quer saber quanto que deste valor auxiliará a manter seu negócio funcionando. A informação que você está procurando tem nome: margem de contribuição.

O nome é bem intuitivo: qual margem deste produto contribuirá para o pagamento das despesas fixas? Apesar de causar um pouco de temor num primeiro contato, esse indicador não é tão difícil de ser calculado.

Como calcular a margem de contribuição

Vamos continuar com o exemplo da sua loja de camisetas!

Para poder realizar uma venda, existe um custo de produto, que pode ser dado pelo tecido, costura, linha etiquetas, impressão/bordado, embalagens. Caso compre a camiseta pronta para revendê-la, é o custo de aquisição do produto.

Além disso, há também custos de venda. Neste grupo, enquadram-se taxas de cartão, comissões, impostos incidentes sobre o faturamento, frete quando absorvido pelo lojista.

Vamos supor que você produza esta camiseta a um custo de R$ 14,50. E que tenha custos de venda de R$ 16,80 (imposto, comissão e cartão).

Num fluxo simples, teríamos a seguinte demonstração:

 (Paula Bazzo/Reprodução)

A linha “resultado” é o quanto sobra da venda após pagar os custos de produto e de vendas e essa será a parte desta venda que contribuirá para o pagamento das despesas fixas do negócio: a nossa Margem de Contribuição.

Uma forma bem interessante de acompanhar é este valor em percentual. Para chegar a isso, basta dividir o Resultado pela Receita da Venda. No nosso exemplo, fica assim:

 (Paula Bazzo/Reprodução)

Sabe-se, então, que 61% da venda desta camiseta contribui para as despesas fixas do negócio.

Ter esta informação lhe permite traçar metas de gestão de custos, identificar desperdícios, mapear custos equivocados e, principalmente, calcular seu ponto de equilíbrio, mas isso é assunto para uma próxima coluna.

Vale ressaltar aqui que cada produto possui sua própria margem de contribuição. Para obter a MC média da empresa é importante fazer uma média ponderada do volume de vendas. A média ponderada leva em conta o peso de cada produto no faturamento total.

Então, vamos supor que em sua loja sejam comercializados 3 tipos de camisetas e cada uma tenha uma margem de contribuição diferente:

Camiseta A: 61% de MC

Camiseta B: 43% de MC

Camiseta C: 55% de MC

Suponha, também, que a líder de vendas é o modelo B, com 44% do faturamento; seguidos de C (29%) e A (27%). Significaria dizer que de R$ 1.000 em vendas, R$430 seria resultado de vendas do modelo B, R$290 do modelo C e R$280 do modelo A.

Temos a seguinte situação:

Camiseta A: 61% de MC com 44% das vendas.

Camiseta B: 43% de MC com 29% das vendas.

Camiseta C: 55% de MC com 27% das vendas.

Neste exemplo, a margem ponderada leva em conta essa proporção do volume de vendas, multiplicando a MC unitária pela sua participação nas vendas e somando todos eles ao final:

 (Paula Bazzo/Reprodução)

Nossa camisetaria, aparentemente, tem uma margem de contribuição ponderada saudável, já que mais da metade das vendas (54%) são direcionadas para o custeio da operação de negócios!  Alguma vez você se dedicou a calcular este indicador para a sua empresa?

Tem dúvidas sobre como administrar a sua pequena empresa? Assine a EXAME e tenha acesso a conteúdos semanais sobre o assunto.