Blog, Bordado, Costura

o jovem designer que representou Curitiba no evento

No fim de junho deste ano, a Federação da Alta Costura e Moda, a FHCM, fez um anúncio que alegrou os ânimos de fashionistas pelo mundo: a Semana de Moda de Paris retomaria seus desfiles presenciais, antes restritos às transmissões virtuais por conta da pandemia do coronavírus. Do outro lado do mundo, em Curitiba, o jovem designer Mateus Nudelmann também ficou empolgado.

Essa é sua matéria grátis do dia. Assine agora e tenha acesso ilimitado.R$ 0,99 no 1º mês

Tudo aconteceu muito rápido. Em um momento, o curitibano postava fotos do dia a dia no seu atelier, inaugurado em 2017 na Avenida do Batel; em outro, recebia uma mensagem da Flying Solo NYC, empresa que impulsiona designers de moda em todo o mundo. “Perguntaram se eu tinha interesse em participar da seleção, que foi 100% online”, conta.

Em menos de uma semana, o designer de 25 anos desenhou uma coleção de oito vestidos de festa – sua especialidade –, com fichas técnicas detalhadas e temática justificada. “Me inspirei nas riquezas da Amazônia e fiz uma homenagem à cultura indígena, à fauna e à flora do nosso país”, explica.

Representando a cidade em Paris

Nudelmann ficou entre os 10 selecionados para representar a moda autoral no evento, sendo o único brasileiro. A partir daí, engrenou em uma corrida contra o tempo. Tinha dois meses para transformar todos os croquis em vestidos dignos de estrelarem nas passarelas do Salons Marceau, a pouquíssimos passos da Champs-Elysées, em Paris. Além disso, saiu em busca de patrocínios para a viagem e conseguiu parceiros como Keune, Mahogany e a curitibana Maria Dolores.

A missão não foi a primeira experiência desafiadora do jovem. No ano anterior, Nudelmann recebera um convite (também pelo Instagram) para produzir o figurino que Xuxa Meneghel usaria na apresentação do reality show Dancing Brasil, da TV Record. Em seu currículo, também estão looks confeccionados para Luciana Gimenez desfilar na Sapucaí e Gabriela Spanic, cantora e protagonista da novela mexicana A Usurpadora, que fez shows no Brasil em 2017.

Sua vivência anterior na capital francesa também o preparou, de certo modo, a criar um repertório da alta costura. “Estudei um ano no Instituto Francês de Moda de Paris em 2013 antes de cursar design de moda na Universidade Positivo. Lá, tive acesso a vários ateliers, conheci todo o processo das grandes maisons que mais me inspiram, como Zuhair Murad e Elie Saab”, relembra Nudelmann.

A coleção

Cada um dos oito vestidos idealizados pelo curitibano foi feito com algum elemento que o jovem aprendeu com as mulheres de sua família. Enquanto quatro deles exaltam o bordado como técnica principal, uma homenagem à avó, Rosi Campos, os outros quatro contam com as pinturas de sua mãe, a artista plástica Simone Campos, como estampas. “Cresci vendo minha avó costurar e bordar lindos vestidos de festa à mão, e também estava sempre cercado da arte da minha mãe”, conta Nudelmann.

Mateus Nudelmann com sua mãe, Simone Campos.
O designer curitibano Mateus Nudelmann foi o único brasileiro a desfilar uma coleção durante a Semana de Moda de Paris.| Alessandra Chastalo/Divulgação

resultado do trabalho foi desfilado nas passarelas da PFW Ones To Watch no dia 3 de outubro. Gazar de seda, crepe, cristais Swarovski, flores tridimensionais e penas compuseram uma paleta que passou pelo verde e azul ao vermelho e amarelo na coleção Amazônia.

Este parece ser só o começo do voo solo de Mateus Nudelmann. Depois de ser visto por jornalistas de revistas como Vogue, Harper´s Bazaar e Elle, o designer já recebeu convites para desfiles em Nova York e Milão. Mas, por enquanto, seu próximo grande compromisso é mesmo na capital paranaense. “A Prefeitura de Curitiba me chamou para aumentar a coleção, vão ser 25 vestidos. Vou fazer uma homenagem à cidade e depois apresentar as peças em um evento especial”, conta ele. Ficaremos de olho.