Blog, Costura

Negócios informais: Como empreender em meio à crise

Em meio a tantos desafios que a pandemia impôs aos brasileiros, certamente a de maior destaque foi a manutenção da renda familiar.

Com a restrições impostas pela Covid-19, para evitar o contágio da doença, grande parte da população acabou afetada pelo desemprego e queda no orçamento. Mas, como diz o ditado, é no caos que as soluções mais criativas surgem. E foi o que ocorreu.

Nos últimos meses, ainda que grande parte dos empresários esteja lutando para não fechar as portas, aumentou muito o número de brasileiros que decidiu empreender em meio à crise, especialmente através do e-commerce.

Isso se deve ao fato de que alguns viram nesse momento uma grande oportunidade de se refazer profissionalmente e aumentar o orçamento familiar. Outros, no entanto, encararam o empreendedorismo por falta de um emprego formal e fixo.

Comida caseira

Um dos negócios informais que despontaram durante a pandemia foi a culinária. Devido ao desemprego, e pelo fato de ter que passar mais tempo em casa, para respeitar o isolamento e distanciamento social, muitas pessoas acabaram se descobrindo na cozinha.

Além disso, a demanda por refeições delivery, e com preço acessível, também aumentou. E é aí que está a alma do negócio. Especialistas afirmam que, para empreender em meio a uma crise, é preciso ficar de olho na demanda do mercado.

Não à toa, o número de negócios informais que oferecem comida caseira cresceu nos últimos meses. Tanto que hoje é possível encontrar à venda pães artesanais, refeições completas, incluindo as restritivas e as fitness, além de tortas, bolos, doces e lanches. Tudo feito de forma caseira, e entregue na porta de casa.

E o crescimento desse setor também se reflete nas compras de supermercado e de utensílios de trabalho. Pesquisas já apontam um aumento na venda de formas de bolo, facas e do maçarico culinário, utilizado para gratinar e tostar receitas doces e salgadas.

Atendimento on-line

Outro negócio que se destacou no meio da crise é o de personal trainer. Com as academias fechadas, ou com público reduzido, a demanda por professores que atendem em casa foi a deixa para que os profissionais se reinventassem.

Hoje é possível treinar com o personal on-line. E tamanho foi o sucesso, que esse tipo de serviço deve se manter até mesmo no pós-pandemia.

Isso se deve tanto pela praticidade e comodidade de treinar a qualquer hora, quanto pela mobilidade de poder continuar a prática de atividade física mesmo durante as férias e as viagens.

Grandes talentos

Além da gastronomia e dos exercícios físicos, a crise instaurada pelo novo coronavírus também fez surgir outros negócios informais baseados no talento pessoal.

A saboaria foi um deles. Os sabonetes artesanais caíram no gosto popular por serem fabricados com produtos naturais, sem aditivos químicos e que não agridem a pele.

Outro negócio que despontou na crise foi o de corte e costura. Com a demanda por máscaras, muitas costureiras, profissionais e amadoras, investiram nesse tipo de confecção e continuam lucrando com a aquisição de novos clientes.