Blog, Costura

Morte de crianças por engasgo é muito comum. Veja como prevenir e salvar

Acidentes domésticos estão no topo da lista de ocorrências entre crianças, e, muitas delas, com consequências fatais. É o caso do engasgamento, a principal causa de morte acidental em bebês de até 1 ano de idade.

Recentemente, uma menina de 2 anos morreu, após engasgar-se com um pedaço de linguiça na escola que frequentava, na Inglaterra.

O engasgamento na primeira infância é comum, principalmente, porque as crianças possuem vias aéreas superiores pequenas, pouca experiência em mastigar e engolir e dentes menores. Além disso, crianças costumam levar objetos à boca com frequência e, no caso dos bebês, existe ainda uma dificuldade motora, como, por exemplo, levantar a cabeça. Por isso os dados são tão alarmantes.

Porém existem formas de prevenir engasgos e saber o que fazer, caso aconteça.

Alguns dados

O engasgo de crianças é mais comum até o primeiro ano de vida, no entanto, até os 5 anos isso pode acontecer. Por isso todo cuidado é pouco.

Cerca de 95% das mortes por engasgo acontece em ambientes domésticos.

Na União Europeia, a cada ano, 20 crianças morrem dessa forma e 2 mil sofrem algum tipo de engasgo.

Nos Estados Unidos, uma média de 12.345 crianças vão parar no Pronto Socorro em decorrência de obstruções das vias aéreas por causa de algum alimento (relatório de 2013). E essa ocorrência é comum no mundo todo.

Dados do Ministério da Saúde apontam que 791 crianças de até 14 anos morreram vítimas desse tipo de sufocação, em 2018.

Como prevenir engasgos

Existem várias medidas que os pais ou cuidadores podem adotar para evitar que crianças sofram algum tipo de engasgo.

Entre elas, as principais são:

  • Evite dar alimentos duros e ou redondos, principalmente para as crianças pequenas. Nessa categoria entram as balas duras, nozes, pipocas, uvas, salsichas, entre outros;
  • Evite também dar alimentos grudentos, como balas, pirulitos e doces, pois eles também podem obstruir as vias aéreas;
  • Ensine a criança a comer na mesa, sentada e em silêncio. Fazer outra coisa enquanto come pode favorecer o engasgamento;
  • Até os 3 anos evite dar frutas inteiras ou vegetais crocantes e em tamanho grande para a criança;
  • Tenha cuidado com os ossinhos das carnes. Corte sempre tudo em pequenos pedaços e ensine a criança a mastigar corretamente;
  • Adote o hábito de cortar alimentos em pedaços pequenos para crianças de até 5 anos de idade. Os cortes no sentido longitudinal (em forma de palitinhos) são mais fáceis para a criança pegar e não obstruem a glote;
  • Não deixe a criança comer quando estiver em veículos que estão em movimento. Qualquer parada brusca pode provocar engasgo;
  • Brinquedos também podem provocar esse tipo de acidente. Escolha sempre um que seja adequado para a idade da criança e faça vistorias nos itens usados para verificar possíveis peças soltas;
  • Tire do alcance da criança objetos pequenos, como moedas, caixas de ferramentas, materiais de costura, tampas de caneta, bolas de gude, botões, contas, joias, brinquedos que desmontam, entre outros;
  • Brincar com comida não é uma boa ideia tampouco. Arremessar algum alimento para tentar pegar com a boca ou participar de competições de comida pode favorecer engasgos.

Como salvar crianças vítimas de engasgamento

A melhor forma de salvar uma criança que foi vítima de engasgamento é fazendo a Manobra de Heimlich.

Essa manobra é adotada por socorristas do mundo todo e pode salvar a vida da criança.

Para fazê-la, a criança precisa estar de costas para o adulto, que vai abraçá-la por trás e fazer pressão com as mãos no músculo do diafragma. Esse recurso induzirá a tosse, expulsando o objeto ou alimento.

Confira abaixo um vídeo que mostra como fazer a Manobra de Heimlich:

 

Em casos de engasgos em bebês, o procedimento é um pouco diferente e consiste em colocar a criança de bruços nos joelhos do adulto, apoiando a cabeça do bebê no antebraço e segurando com a mão.

Depois, dê 5 tapinhas nas costas de modo a expulsar o corpo estranho das vias aéreas do bebê.

Em seguida, vire o bebê e faça 5 compressões sobre o osso central do peito. Volte a dar 5 tapinhas nas costas.

De todo modo e em todos os casos, mesmo que o objeto seja expulso, é importante levar a criança ao Pronto Socorro para verificar se está tudo bem.

Seguindo as recomendações de prevenção, as chances de passar por um apuro desse tipo diminui e pode salvar vidas.

Talvez te interesse ler também:

Doe brinquedo usado em bom estado. Velho e quebrado: recicle. Veja como!

O silêncio no método Montessori. Crianças quietas e felizes

Criança de maquiagem: permitir ou proibir? Quais são os riscos?