MasterChef faz doação para Instituto Caça-Fome, que surgiu na pandemia e promete ajudar 1 milhão de pessoas

  • por

Quando foi decretada quarentena no Brasil, no primeiro semestre de 2020, o empresário Daniel Ribeiro recebeu de um amigo o aviso de que muita gente estava passando fome. Logo, lotou um carro com alimentos e saiu para entregar pela cidade de São Paulo. Assim, nasceu o Instituto Caça-Fome, 12º projeto beneficente que recebe a doação de R$ 5 mil do MasterChef Brasil. Na primeira ação, 800 kg de mantimentos foram distribuídos e, desde então, mais de 300 comunidades receberam o auxílio de 50 mil cestas básicas e 600 toneladas de alimentos. 

Leia também:
Ana Paula Padrão conta que pai queria registrá-la como “Eudóxia” e vira meme
Renato Aragão na Band, Dona Margarida lavando louça e mais: veja as reações ao MasterChef no Twitter
Bobó de camarão, pavê de chocolate e mais: veja receitas preferidas dos famosos no MasterChef

Atuando diariamente, um grupo de 200 voluntários se reveza e sai pelas ruas com cinco veículos e entrega todas as doações. Por isso, a quantia doada pelo programa será usada para investir ainda mais nas ações. “Vamos comprar alimentos”, explica o fundador, em entrevista ao Portal da Band.  O objetivo do projeto é ajudar 1 milhão de pessoas com a distribuição de cestas básicas e máscaras. 

Para isso, foram criadas cestas emergenciais com custo inferior ao que é comercializado e produtos que de fato ajudam a matar a fome com 11 kg de alimento por família. “Percebi que as cestas convencionais tinham produtos supérfluos e, por isso, criei uma cesta mais barata para socorrermos um número maior de famílias”, conta. Todos os alimentos são comprados com recursos do empresário e doações. 

O lema do projeto é que “se muitos fizerem pouco, o resultado será magnífico” e a campanha hoje atua também com 19 núcleos de costura em que os moradores recebem kits de tecido e aviamento para produzir máscaras para a população local.