Blog, Costura

Maison Margiela lança pantufa em formato de pão

Uma das variedades do pão francês é a baguete. O snack alongado com casca crocante também é o nome de uma das bolsas clássicas da Fendi, criada em 1997. Agora, o quitute ganhou versão em calçado. O item é uma das criações lançadas pela collab Maison Margiela x Tommy Cash.

Vem ver!

O rapper estoniano é conhecido pelas colaborações inusitadas. Recentemente, Cash lançou um par de tênis extralongos com a Adidas. Desta vez, o músico uniu forças com a grife de luxo francesa para anunciar uma coleção-cápsula.

Além do par de pantufas, outro item inusitado ganha destaque entre as peças. Trata-se de um miojo instantâneo, que supostamente “entrega o sabor da alta-costura em refeições rápidas, sem a necessidade de sair de casa”, como descreveu a marca.

Pantufa em formato de pão
O rapper Tommy Cash anunciou nova colaboração com peças inusitadas

 

Pantufa em formato de pão
Após collab com a Adidas, o cantor se juntou à Maison Margiela

 

Pantufa em formato de pão
Além da pantufa com aparência de pão, outro item da coleção é um macarrão instantâneo

 

Pantufa em formato de pão
As peças carregam uma crítica sobre o consumo

 

Os lançamentos inesperados carregam uma crítica do cantor em relação ao consumo. “Coma somente se você estiver disposto a morrer como consequência”, explica a mensagem que vem dentro da embalagem da massa.

Peças mais convencionais complementam o lançamento. Camisetas nas cores preta e branca, moletom com capuz, suéter listrado e um tapete decorativo estão no repertório.

Pantufa em formato de pão
Peças mais convencionais complementam a coleção-cápsula

 

Pantufa em formato de pão
Camisetas nas cores preto e branco também estão disponíveis

 

Pantufa em formato de pão
Outro item é um tapete com estampa persa

 

Pantufa em formato de pão
O portfólio do lançamento é sóbrio

 

Uma faixa silenciosa de cinco minutos também foi disponibilizada. A música chega como parte da colaboração entre o cantor e a grife. Cash detalhou: “Para a maioria de nós, estar acordado significa ser bombardeado por sons, especificamente organizados para o consumo. Os ruídos cotidianos das ruas, da natureza e das casas são constantemente silenciados por tudo o que os algoritmos trazem”.

“Em vez de pássaros, estamos ouvindo podcasts ou qualquer coisa gravada nos últimos 144 anos. Em vez de informações sobre o ambiente real, nossos ouvidos estão recebendo uma enxurrada infinita de comida escapista. Ou o fornecimento, 24 horas por dia, 7 dias por semana, de notícias que nos mantêm apegados a uma fonte constante de ansiedade. Durante a pandemia, torna-se ainda mais grave, pois estar ligado a algum conteúdo está substituindo cada vez mais o que resta da ‘vida real’.”

Tommy Cash

Colaborou Sabrina Pessoa