Blog, Costura

Lençóis e fronhas costuradas pela PEG são entregues ao Hospital São Vicente – Correio do Cidadão

A Penitenciária Estadual de Guarapuava – Unidade de Progressão (PEG-UP) entregou nesta segunda-feira (21) mais de 200 lençóis e cerca de 55 fronhas para o Hospital São Vicente de Paulo.

O vice-diretor da PEG-UP, Paulo Bilek, destaca que os materiais entregues foram costurados pelos detentos da unidade e que esse trabalho é desenvolvido em todo o Paraná pelo Departamento Penitenciário (Depen).

“Esse trabalho dos internos se encaixa nas boas práticas do Departamento Penitenciário, em que através do trabalho do detento ele, de alguma forma, faz o bem para a sociedade”, conta.

Paulo explica que esse trabalho de costura é uma parceria com os hospitais São Vicente e Santa Tereza, que começou por conta da pandemia da Covid-19 e que visa ajudar entidades filantrópicas.

“O hospital manda o material que eles querem que costure e os presos da nossa unidade realizam o trabalho. E esse trabalho de costura já é um pré-requisito para ele desenvolver outros trabalhos dentro e fora da PEG-UP”, ressalta.

Bilek salienta que a cada três dias trabalhados é diminuído um dia da pena do presidiário e todos os 215 detentos da PEG-UP exercem algum tipo de atividade.

“O preso chega na unidade, é implantado nesse canteiro de trabalho, como a costura, e posteriormente, ele vai para outro trabalho remunerado. Nesse trabalho da costura, por exemplo, o detento recebe R$ 150 por mês e mais a rendição de pena”, reitera.

EQUIPE
O vice-diretor da unidade prisional afirma que com o bom trabalho em equipe, juntamente com o diretor da PEG-UP, Renato Silvestri, e o chefe de segurança, Gilmar Budniak, o trabalho é de alto nível e sempre comprometido com o objetivo da unidade.

“Nós temos uma equipe fantástica. Se não fossem os agentes penitenciários abraçarem essa causa, talvez nada seria possível. Os polícias penais, as chefias de segurança e todos os envolvidos também são sensacionais e fundamentais para que tudo aconteça”, destaca.

Paulo conta ainda que durante o ano de 2020 foram produzidas e distribuídas para as entidades de Guarapuava 4,9 mil máscaras de tecido e 15 mil máscaras de TNT.

Bilek salienta que a cada três dias trabalhados é diminuído um dia da pena do presidiário (Foto: Divulgação)

SÃO VICENTE
A PEG-UP costurou durante o ano de 2020 e entregou ao Hospital São Vicente de Paulo 1,8 mil jalecos de SMS, 740 lençóis de tecido, 130 jalecos cirúrgicos, 110 calças, 110 camisas e 25 campos cirúrgicos.

Para a gerente de hotelaria do hospital, Darla Silverio Macedo, essa colaboração é essencial para o funcionamento da unidade de saúde, principalmente, neste ano.

“Essa parceria entre a PEG e o hospital foi fundamental. Com a questão da pandemia houve um aumento muito grande pela demanda de enxoval. E também pela paramentação dos colaboradores das áreas do isolamento”, salienta.

A gerente lembra que o começo dessa parceria traz para as duas entidades um ganho muito grande tanto profissional como social também. “Tudo começou com eles nos ajudando na confecção e na costura de aventais e roupas que fazem parte do Equipamento de Proteção Individual. E depois foram feitos e costurados vários pijamas cirúrgicos, lençóis, fronhas, entre outras peças. E penso que nessa parceria os dois lados ganham”, finaliza.

***************Reportagem: Lucas Herdt, especial para CORREIO