Pular para o conteúdo

Indústria catarinense cria 5,7 mil postos de trabalhos no mês de maio

  • por

Saldo total acumulado de vagas de emprego gerados em Santa Catarina é de 61 mil; dados são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados pela FIESC

A indústria catarinense criou 5,7 mil novos postos de trabalho no mês de maio, sendo 4.360 vagas da indústria geral e 1.358 vagas da construção civil. Os dados foram obtidos do CAGED  (Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e divulgados pelo Observatório FIESC.

Santa Catarina tem a menor taxa de desocupação do país (6,2%) – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

O dispositivo legal utilizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego para acompanhar a situação da mão de obra formal no Brasil mostra que, no acumulado do ano até maio, a indústria criou 61 mil vagas de emprego. O resultado representa mais da metade dos postos gerados pelo mercado de trabalho catarinense no período (111,3 mil).

“Chamo a atenção para o segmento têxtil, confecções, couro e calçados que gerou 15 mil vagas no acumulado do ano. Outro setor que vem se destacando é a construção civil, com 10,8 mil vagas no período. O crescimento do setor é influenciado pelo acesso ao crédito e pelas taxas de juros a patamares mais baixos em relação à média histórica”, comenta o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar.

Mario Cezar ainda lembra que outro destaque do ano é o setor de madeira e móveis, que registrou saldo positivo de 7 mil vagas. O desempenho positivo da atividade é puxado tanto pelo crescimento das exportações, principalmente para os Estados Unidos, quanto pelas vendas internas.

“A dinâmica nacional de investimentos em bens de capital está influenciando o desempenho dos setores de máquinas e equipamentos e metalurgia. Juntos, esses segmentos criaram 10,1 mil vagas de janeiro a maio, contribuindo para o crescimento do mercado de trabalho catarinense”, avalia.

A análise do Observatório FIESC mostra ainda que das 10,8 mil vagas criadas pelo segmento da construção, 6.426 se referem à construção de edifícios.

No acumulado de janeiro a maio, além das indústrias têxtil/vestuário e da construção, também se destacaram na abertura de vagas segmentos como alimentos (3.275 vagas), produtos químicos e plásticos (2.926 vagas), equipamentos elétricos (2.609 vagas), cerâmica (2.233 vagas), automotivo (2.077), celulose e papel (874) e indústria gráfica (307 vagas).

Enquanto isso, os setores participantes da cadeia de bens de capital continuam registrando ampliação no quadro de funcionários. Os setores de Máquinas e Equipamentos e Metalmecânica e Metalurgia registraram, em conjunto, saldo positivo de 1.471 novas vagas. O aumento na produção de bens de capital na economia nacional está influenciando positivamente na dinâmica desses setores em Santa Catarina.