Governo e instituições parceiras realizam programação do Outubro Rosa no presídio feminino de Cruzeiro do Sul – O Juruá Em Tempo

  • por

Com o slogan “Outubro Rosa – um toque pode mudar a sua vida”, o governo do Estado, por meio do Gabinete da Primeira-Dama, da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e instituições parceiras, realizou nesta quinta-feira, 22, uma ação que levou atendimento de saúde às detentas da Unidade de Regime Fechado Feminina Manoel Neri da Silva, em Cruzeiro do Sul. Participaram também da ação o Tribunal de Justiça do Acre, a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Acre (OAB/AC) e a Prefeitura de Cruzeiro do Sul.

As 24 detentas do presídio feminino foram atendidas com palestras sobre prevenção e conscientização ao câncer de mama; autoexame; saúde da mulher; e os dez principais direitos da mulher com câncer de mama. As mulheres também receberam atendimento em saúde da mulher, com exame preventivo do câncer de colo uterino (papanicolau), testes rápidos e agendamento de mamografias, além da entrega de kits de higiene pessoal.

A primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli, na abertura do evento, disse às detentas que o projeto nasceu a partir do trabalho realizado em Rio Branco com 350 detentas, e que as de Cruzeiro do Sul também precisavam dos cursos de capacitação, com atelier de costura e outros, com o objetivo de reinseri-las na sociedade.

“Agradeço as parcerias com as instituições que abraçaram essa proposta, pois as mulheres, as crianças e os idosos são o motivo que me move e vejo a necessidade de fazermos mais. E estamos juntos para mais ações como essa”, destacou.

A diretora de Políticas Públicas para as Mulheres da SEASDHM, Isnailda Gondim, explicou que o projeto não tem intenção de culpabilizar, mas de ajudar na reinserção social.

“Viemos trazer uma mensagem de esperança. Estamos articulando com a Vara de Execuções Penais, para que cada palestra assistida conte na remissão de pena da detenta e também vamos oferecer capacitações, para que essas mulheres sejam empreendedoras e possam recomeçar”, explicitou Isnailda Gondim.

Representando a OAB/AC, a vice-presidente, Marina Belandi, ressaltou que, apesar de se tratar de um setor prisional, ficou feliz em observar que as instalações dão a essas mulheres um pouco de dignidade, já que a maioria delas são abandonadas pela família e também não veem seus filhos há muito tempo.

“Como instituição, buscamos ter esse olhar humano, e também como mulher, pois a situação que elas passam já é muito difícil e precisamos acolher e mostrar que esses serviços de assistência é direito delas”, evidenciou.

“Agradeço a presença de todas as instituições com essa atenção ao sistema prisional. Essa rede de atenção é importante e necessária e espero que se perpetue”, asseverou Vanila Pinheiro, coordenadora técnica do Iapen.

Na ocasião, as detentas presentearam a primeira-dama com um tapete de barbante, produzido por elas.

Um momento de muita emoção

Discursando sobre a autoestima e a capacidade de reconstrução e valores familiares, o chefe do Departamento de Promoção de Políticas para as Mulheres, Nonato Viana, abordou a importância da família e do amor próprio.

Emocionado, Nonato salientou que a maioria das detentas foram vítimas da manipulação de alguém e que todas têm sonhos e a capacidade de reconstruir suas metas e recomeçar as suas vidas.

“É hora de repensar e dizer a você quando se olha no espelho: “Eu sou uma mulher de sucesso, eu posso, eu devo. Que essa mensagem seja um incentivo para todas vocês”, enfatizou Nonato Viana.

O choro, a dor, as lembranças tomaram conta do ambiente quando as mulheres detentas cantaram, para os convidados do evento, a música evangélica “Vai Passar”, do compositor Marcos Lucas.