Pular para o conteúdo

Estilista mossoroense costura máscaras para agradecer médicos no RN

  • por

Mariana Ceci

Repórter

Quando o estillista mossoroense Júlio César de Souza Barbosa, de 50 anos, desembarcou em Natal no fim de 2019, achava que seria apenas mais uma temporada de férias em seu Estado de origem, do qual se mudara há 27 anos para ir viver em Nova York. Por causa de uma tosse que o incomodava desde o mês de outubro daquele ano, Júlio decidiu fazer uma radiografia. O exame de imagem apontou uma mancha no pulmão e, após uma tomografia, descobriu-se que possuía um tumor e precisaria ser operado. A operação, feita em fevereiro, durou cerca de 7h – e foi um sucesso. 

Créditos: Juan RipollJúlio César dá asas à sua imaginação nesses tempos de pandemia e costura máscaras de proteção

Aconselhado pelo médico responsável pela cirurgia para que não retornasse à Nova York – que, semanas depois, se tornaria um dos epicentros da pandemia do Coronavírus -, o estilista afirma que se sentiu salvo duas vezes. “Dr. Carlos Alberto salvou minha vida ao dar o diagnóstico, ao fazer a cirurgia, e ao me aconselhar a permanecer no Brasil”, conta. Júlio, então, decidiu usar suas habilidades para, como ato de gratidão, começar a fabricar máscaras de proteção para os profissionais de saúde na linha de frente de combate à pandemia.  

De lá para cá, já foram mais de 300 máscaras confeccionadas, e o estilista continua ativo na linha de produção, costurando modelos também para proteger a população que mora próxima ao sítio onde vive atualmente, em Nísia Floresta, litoral Sul do Estado. “A gente já ouvia falar do Coronavírus naquela época, mas não se sabia que a situação nos Estados Unidos se tornaria tão desesperadora. Foi no início de fevereiro”, conta o estilista. 

Formado em moda e modelagem pelo Fashion Institute of Technology (FIT), o estilista possui dois ateliês: um em Natal, na avenida Rodrigues Alves, e outro em Nova York, no Garment District. Suas obras já foram exibidas em museus, como o “New Museum”, de Nova York, e também já vestiu com suas criações artistas brasileiras como Lia de Itamaracá, além de ter sido destaque em revistas como a Vogue. Os conhecimentos em alta-costura adquiridos em 23 anos de carreira na moda passaram então a ser utilizados na confecção das máscaras de proteção, que foram entregues à toda equipe que participou de seus cuidados durante a cirurgia e outros profissionais de diversos hospitais da cidade, como a LIGA Contra o Câncer. 

Idealização

A iniciativa surgiu a partir de conversas com o médico responsável pelo seu diagnóstico e cirurgia, Carlos Alberto Araújo, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica. “Os tumores e lesões que acometem essa área do mediastino, a depender de onde estão localizadas, podem ter implicações clínicas e diagnósticas diferentes”, explica o médico. “A de Júlio se localizava em uma área chamada ‘mediastino anterior’, entre o tórax e o coração”, completa. 

Pessoas como Júlio, com 50 anos de idade, com lesões nessa região, podem apresentar um tumor no timo, uma glândula que permanece muito ativa principalmente até a puberdade. Os tumores nessa região costumam ser raros, apesar de menos agressivos que outros, como no caso do câncer de pulmão. “Fizemos a maior parte da cirurgia por vídeo, bastante demorada, pois é uma cirurgia muito delicada. O tumor de Júlio era muito grande, então não foi possível fazê-la integralmente por vídeo, que era nossa intenção inicial”, diz Carlos Alberto. 

Apesar das complicações, a cirurgia foi um sucesso e, agradecido, o estilista ofereceu-se para fazer uma peça de roupa ao médico responsável pela operação. A ideia inicial logo se transformou em uma ação: primeiro, para fazer gravatas personalizadas para a Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, com a logomarca da instituição e, posteriormente, com a chegada forte da pandemia e diante da falta de Equipamentos de Proteção Individual suficientes para os profissionais de saúde, Júlio deu início à fabricação das máscaras, cuja distribuição ficou à cargo de Carlos Alberto. “Toda equipe que cuidou dele, da emissão do diagnóstico à anestesia na cirurgia, recebeu as máscaras costuradas por ele”, afirma. 

Júlio, por sua vez, continua produzindo. “Ao longo da minha vida, costurei de tudo: almofadas, roupas, vestidos, gravatas. Agora, surgiu essa necessidade, e é o que vamos continuar fazendo. Esses profissionais têm a capacidade de salvar vidas, eu sou exemplo disso. É um momento que demanda que todos ajudem como possam. Se não posso salvar vidas, que use minha habilidade para ajudar a proteger quem vai salvá-las”, diz o estilista. Na redes sociais, Júlio pode ser encontrado pelas contas de Instagram @julio.cesar.nyc e @juliocesaraltacostura.

Governo distribui 450 mil máscaras em 167 cidades

O Governo do Estado anunciou o envio de 450 mil máscaras de proteção aos 167 municípios do Rio Grande do Norte, através do programa RN+Protegido. Os itens foram destinados às oito Regionais de Saúde e estão disponíveis para retirada pelos municípios. Cada um deles será responsável pela distribuição em sua cidade, através de suas secretarias de saúde, de acordo com as respectivas necessidades.

A primeira Regional a receber os itens foi a de São José de Mipibu (74,5 mil unidades), seguida pela de Mossoró (45,5 mil unidades), João Câmara (65,5 mil unidades), Caicó (63,5 mil unidades), Santa Cruz (52 mil unidades), Pau dos Ferros (72,5 mil unidades), Natal e região metropolitana (46 mil unidades) e Assu (37,5 mil unidades). A quantidade foi rateada em função do risco de contaminação em cada região e do número de habitantes. 

Estarão disponíveis, na Escola do Governo, as máscaras selecionadas para as entidades de Natal e região metropolitana, neste sábado, 9, até às 12h.

O programa RN+Protegido já distribuiu 200 mil máscaras de tecido doadas pela Guararapes, que atua como âncora das 78 oficinas do Pró-Sertão reativadas para a produção dos itens. Para dar prosseguimento à ação, o Governo do Estado adquiriu, a preço de custo, 3 milhões de máscaras, que seguem sendo produzidas pelas oficinas. Toda a matéria-prima foi doada pela Guararapes.

A lista completa de municípios e entidades contempladas está no Portal da Transparência. A consulta também pode ser realizada por contato telefônico, pelo número (84) 3190-0700.