Blog, Costura

Entre fios e linhas – Feminino & Masculino

(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

No lugar de roupas, objetos para casa. Regina Misk, designer especializada em tramas com fios e linhas, deu uma guinada na carreira ao trocar a moda pela decorao. Mas ela continua a usar tcnicas como tric e croch para criar peas que envolvem muitas horas de trabalhos manuais. O catlogo vai de adornos a utilitrios e mveis. A inaugurao do novo ateli, que ocupa uma casa centenria no Bairro Barro Preto, marca esta nova fase.

 

(foto: Dentro Fotografia/Divulga
(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

 

 

H tempos, Regina pensava em montar um ateli fora de casa. Mas ela no queria ir para um galpo. Procurava um espao mais antigo, com histria para contar, que tivesse mais a ver com o seu trabalho. Acabou escolhendo uma casa de 1922 no Bairro Barro Preto, com p-direito alto, piso de tbua corrida e portas de madeira altas e largas, que se abrem no meio, tpicas de imveis centenrios.

 

(foto: Dentro Fotografia/Divulga
(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

 

 

Assinado pelo arquiteto Pedro Haruf, o projeto de reforma preserva todas as caractersticas originais. A fachada foi revitalizada e agora conta com escritos que dizem sobre quem ocupa a casa, como se fazia antigamente. L no alto, as iniciais RM, de Regina Misk. Abaixo das duas janelas, lemos “ofcio tradicional”, “tecelagem artesanal” e “trabalho autoral”.

 

(foto: Dentro Fotografia/Divulga
(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

 

 

O espao vai, aos poucos, sendo ocupado por objetos que esto venda e ferramentas de trabalho. “A ideia no ter diviso entre showroom e produo. As pessoas podem vir aqui para conhecer as peas e, ao lado das prateleiras, vo ver uma mquina de costura, ou algum pregando uma etiqueta. Este nosso local de trabalho”, explica. Por enquanto, o ateli est de portas fechadas para o pblico. A designer avisa que s receber os clientes quando a pandemia permitir.

 

(foto: Dentro Fotografia/Divulga
(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

 

 

Regina trabalha com todas as tcnicas que envolvem tramas. “Fico mais vontade de expressar a minha criatividade com fios e linhas”, diz. Suas habilidades manuais vm da infncia: ela cresceu vendo a me tricotar e teve aulas de artesanato no colgio de freiras onde estudou, em Portugal. Hoje, o que ela mais faz tric e croch, mas no deixa de experimentar macram, bordados, tecelagem em tear. Est sempre em busca do diferente, seja na tcnica, nos materiais ou no design das peas.

 

(foto: Dentro Fotografia/Divulga
(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

 

 

O ateli explora, intencionalmente, dimenses mais exageradas. A designer fala que cria com lente de aumento. Usa fios mais grossos, faz tramas mais volumosas e desenvolve objetos enormes (o cesto Sambur tem um metro de altura). “Decorao em croch existe aos montes, ento tento deslocar meu trabalho do artesanato, levando para um lado mais contemporneo, de design. para chamar a ateno e causar surpresa nas pessoas”, justifica.

 

(foto: Dentro Fotografia/Divulga
(foto: Dentro Fotografia/Divulgao)

 

 

A vontade de fazer diferente, de no ir na onda do que todo mundo faz, levou a designer a lanar, em 2016, os objetos de maior sucesso do ateli, que so as correntes de croch. A linha vem evoluindo e tem cada vez mais opes. As tramas, preenchidas com resduos txteis, podem ser de algodo, juta ou rami, em vrias cores. Algumas ganham elos de madeira. O comprimento e a espessura tambm variam. Tudo feito a mo. A Corrente Nove Elos, por exemplo, exige cerca de 30 horas de trabalho manual.

 

No incio, ningum entendia direito para que serviam as correntes. Hoje elas so encontradas em vrios contextos. O mais comum us-las como centro de mesa, mas sugere-se tambm pendur-las na parede, fazendo uma composio entre quadros. Uma pea, feita sob medida, foge totalmente do padro: est instalada no hall de um prdio, que tem quatro metros de p-direito. Vai do teto ao cho. A designer adianta que est desenvolvendo luminrias com os elos.

 

O trabalho tambm se diferencia pelo design. Regina quem desenha os objetos, inclusive os mveis. A banqueta Cip tem os ps curvados de madeira e o assento feito com uma tcnica de tranado que ela aprendeu no curso de estofamento em Londres. A diferena que, em vez de palhinha, vemos uma corda bem grossa. “Gosto de falar de aconchego, memria afetiva, remeter a uma lembrana gostosa da casa de v, mas, ao mesmo tempo, trazer modernidade.”

 

POLTRONA No d para deixar de falar da poltrona Concha, toda estofada em tric manual. Apoiado em ps palito de madeira, o assento traz o aconchego das tramas, que se prolongam em franjas com charme e balano. O trabalho com bolas de croch, aplicadas em trs modelos do banco Bolha, tambm chama a ateno. As peas j so marca registrada do ateli.

 

A aproximao de Regina com o mobilirio se deu atravs de cadeiras, poltronas e bancos. Em 2013, nas idas a So Paulo para visitar o filho, passou a frequentar antiqurios e despertou o olhar para a decorao. Lembrou-se de um sof com estofado de tric que fez para a vitrine de uma loja sua, nos anos 1990, que fez muito sucesso. “Comecei a comprar aleatoriamente peas de poca e reform-las. No tinha a inteno de vender.” Na poca, tudo era um hobby, ela ainda trabalhava no mercado da moda.

 

No incio de 2018, a designer resolveu dar uma pausa para pensar o queria da vida e passou quatro meses na Europa. Em Londres, fez cursos de tecelagem, tingimento e at aprendeu a estofar. “Quando voltei dessa viagem, cheguei concluso de que queria me dedicar a esse negcio. Estava cansada da moda e via que a lgica da decorao era muito diferente. As peas podem demorar para vender, mas no so perecveis. Existe tendncia de cores, mas de forma bem sutil, so pinceladas na coleo.”

 

Regina desenvolve outros tipos de objetos para a casa, como a luminria Uan, que pode ser mesa ou de cho. A cpula revestida com tramas de croch em cadaro de polister. O mesmo material aparece na fruteira Caturra, em formato de folha de bananeira. Todas as peas so feitas sob encomenda. O cliente tem a possibilidade de escolher cores e pontos de sua preferncia.