Blog, Costura

Emocionante e necessário, Emicida lança o documentário “AmarElo – É Tudo Pra Ontem” | Crítica

A Netflix lançou nesta terça-feira (08) o tão aguardado “AmarElo – É Tudo Pra Ontem, do rapper, escritor e pensador contemporâneo Emicida. O documentário mescla história com música e o artista costura todas as informações com cenas do show gravado no Theatro Municipal de São Paulo, em 2019.  

Com uma linguagem didática e bastante sensível, a produção de 90 minutos de duração traz à tona a história da cultura brasileira e evidencia acontecimentos, movimentos e personagens negros que foram responsáveis pela formação histórica e cultural do país, mas foram invisibilizados ao longo dos anos.

“Quando histórias grandiosas, como as que aparecem no documentário, são invisibilizadas, todos nós perdemos enquanto sociedade brasileira. Não à toa, começamos e encerramos o filme com o ditado iorubá sobre Exu, porque é tudo pra ontem e a gente vai no hoje corrigir os problemas que aconteceram antes de a gente chegar”, comenta Emicida. “Assim como ocupar o Municipal é uma vitória e a realização dos sonhos de muitos que vieram antes de mim, lançar esse conteúdo na Netflix, que nos leva para a sala da casa de milhões de pessoas, também é uma conquista. Assim, a gente começa a tirar o verniz de invisibilidade que amaldiçoa a história”, completa.

“AmarElo – É Tudo Pra Ontem” ainda traz imagens dos bastidores do processo criativo e da gravação do álbum “AmarElo”, que venceu a categoria de Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa do Grammy Latino. Além do álbum, o modernismo e o samba serviram de ponto de partida para narrativa do documentário. Este último, inclusive, é colocado como o centro gravitacional da criatividade brasileira no filme.

Dentre as cenas dos bastidores, o público poderá conferir as gravações de “Ismália”, que traz a colaboração da atriz internacionalmente conhecida Fernanda Montenegro recitando um poema, e a performance da canção no show e que emocionou aqueles que estavam presentes. É possível conferir também as etapas da parceria entre Majur, Pabllo Vittar e o rapper na faixa “AmarElo”, além de cenas ao vivo.

Além de colocar em evidência as personalidades importantes para a cultura preta, para as lutas pelos direitos dos pretos e apresentar ao público como foi o processo de produção do projeto, o documentário chega quase como um abraço, como um presente emocionante e bastante acolhedor não só para os fãs do rapper, mas para todos.

A produção possui uma cronologia e construção de informações impecáveis, que narradas pelo Emicida ficam ainda mais prazerosas de vivenciar e ir mais a fundo todos os pontos abordados. Além disso, embora tenha o show de 2019 como ponto de partida, o documentário é bastante atual e retrata parte desse período de pandemia mostrando as pessoas em situação de vulnerabilidade nas ruas e que necessitam da atenção do público.

“AmarElo – É Tudo Pra Ontem” é uma produção bastante importante e pode ser vista como uma obra de utilidade pública que contribui para educação da população, para a luta e dissemina a esperança, além de alimentar o audiovisual com algo tão grandioso visualmente. O documentário é necessário, representativo e perfeito para todos aqueles que gostariam de conhecer a própria história – e para os aliados que queiram conhecer a luta que já vem de muitas eras.

A produção dá início a parceria de sucesso entre Emicida e a plataforma de streaming e tem realização assinada pelo Laboratório Fantasma, com produção de Evandro Fióti e direção de Fred Ouro Preto. A Netflix e a Laboratório Fantasma ainda terão um segundo projeto do Emicida, que será lançado em 2021.