Pular para o conteúdo

Elon Musk diz que chip de sua empresa vai permitir ouvir música diretamente do nosso cérebro

  • por

Elon Musk não para. O bilionário CEO da Tesla e da SpaceX, para além do interesse em carros elétricos e viagens espaciais, também pretende mudar a forma como ouvimos música. Pelo menos, foi isso que ele disse que a sua nova invenção poderá fazer.

Um chip sendo desenvolvido pela sua companhia do ramo de neurotecnologia, a Neuralink — que atuará na implementação de interfaces entre cérebros e máquinas —, permitirá a uma pessoa “trazer um streaming” de música diretamente ao seu cérebro.

Musk sugeriu a possibilidade no domingo (19), quando respondia a um usuário de uma rede social se a implementação do chip no cérebro daria a oportunidade de ouvirmos uma canção a partir dele.

“Se implementarmos o Neuralink, poderemos ouvir música a partir dos nossos chips?”, perguntaram ao executivo, que respondeu afirmativamente.

Na mesma rede social, Musk falou do perfil do empregado de que está à procura para a empresa.

“Se você resolveu problemas difíceis com telefones/acessórios (vedação, processamento de sinal, carregamento indutivo, gerenciamento de energia, etc.), considere trabalhar” na Neuralink, escreveu o executivo.

Outras funções

Em evento em 2019, Musk disse que a empresa trabalhava em um dispositivo “semelhante a uma máquina de costura”. Desta forma, seria fornecida uma conexão direta entre um computador e um chip inserido no cérebro. O processo de instalação do chip será semelhante à cirurgia ocular a laser Lasik, segundo Musk.

Além disso, Musk revelou outras funções possíveis do chip. Ele afirmou que o Neuralink poderá ajudar a controlar os níveis hormonais e usá-los em nosso proveito, como no aperfeiçoamento de habilidades e raciocínio e alívio da ansiedade.

A tecnologia poderia ser usada também para ajudar pessoas que sofrem de doenças cerebrais como a de Parkinson, mas o objetivo final do Neuralink é permitir que os humanos compitam com a inteligência artificial avançada, disse ele. “Isto também resolveria muitas lesões de cérebros e espinha”, afirmou.

A Neuralink deve dar mais informações sobre o progresso dos trabalhos com o chip em 28 de agosto.

*Com informações do Independent