Defesa por retomada da economia ganha reforo na Assembleia Legislativa

  • por

Cibele diz que efeitos da crise gerou fechamento e demisses

FOTO: Arquivo Gazetaweb

A presso feita pelo setor econmico para a reabertura do comrcio na capital e no interior do Estado ganhou o apoio da deputada estadual Cibele Moura (PSDB). Um dia aps o protesto de empresrios e funcionrios, ela afirmou que teme o pior, j que as empresas de mdio e pequeno porte no tm recursos para se manter fechadas por tanto tempo.

“Alagoas possui uma economia predominante de pequenas e mdias empresas. So comrcios com um fluxo de caixa apertado. necessrio reabrir para no enfrentarmos um problema ainda maior, a misria. Minha defesa, como parlamentar e cidad, pela retomada gradual das atividades, com critrios claros e objetivos, seguindo as recomendaes necessrias e com a devida fiscalizao”, disse Cibele.

Segundo a parlamentar, o posicionamento se baseia nas informaes divulgadas pela Associao de Bares e Restaurantes em Alagoas (Abrasel/AL), pela Associao Comercial e pela Aliana Comercial, que j indicaram o fechamento de estabelecimentos e, por consequncia, o desemprego.

“At o momento ainda no foi apresentado um plano baseado em parmetros concretos para a reabertura gradual do comrcio, deixando os empresrios refns da imprevisibilidade. Estamos diante de uma calamidade, com a estimativa que 40% dos bares e restaurantes de Alagoas no consigam reabrir”, lembrou a deputada.

Como resultado, conforme ressaltou Cibele, vem a demisso de trabalhadores de carteira assinada, alm da queda na arrecadao de impostos, que, por consequncia, afeta os cofres estaduais e das prefeituras de um modo geral. Seria a quebra de um ciclo econmico que penalizaria o Estado, mas com dados para os trabalhadores que passaro a conviver com a misria.

Reao

A reao da deputada tambm vem em apoio aos empresrios, que tomaram s ruas capital, nessa tera-feira (23), cobrando a reabertura do comrcio com base em regras de segurana. Ele ainda apresentaram uma pauta poltica ao defender a CPI do Covid-19, afim de expor dados sobre os recursos enviados ao Estado.

A indignao que se transformou em revolta foi amplificada aps mais uma prorrogao do decreto de distanciamento social. No segmento comercial existia a expectativa da reabertura a partir do dia 23 de junho, porm, com a continuidade do fechamento, o incio do retorno gradual acontecer apenas no incio de julho.

Entre os empresrios h os que querem apenas o direito de voltar a trabalhar e “gerar empregos” como tambm os que no perdoam o que consideraram um massacre feito pelo governo Renan Filho (MDB).

Eles consideram que fundamental que, alm da presso pela volta, tambm haja uma articulao poltica que investigue a conduta, o combate e os gastos com a pandemia em Alagoas. Eles partem da ideia de que, assim como no Rio de Janeiro e no Par, houve algum tipo de malversao dos recursos enviados pelo Governo Federal.

Sendo assim, a categoria costura apoios do parlamento para tentar a instaurao de um procedimento investigativo. A tarefa no fcil, j que a maioria dos 27 deputados, mesmo com algumas reaes contrrias, integra a bancada governista. Pelo menos foi assim antes da crise gerada pela pandemia, quando o governo aprovava, sem dificuldades, as matrias impopulares, como a reforma estadual da previdncia.

Para comentar na página você deve estar logado. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta. Leia os termos de uso e participe com responsabilidade.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

<brFonte gazetaweb.globo.com