Pular para o conteúdo

Decoração afetiva: como combinar memória e estilo no seu ambiente

  • por

O segredo é treinar o olhar e apostar em itens que remetem a boas memórias. Crédito: Reprodução Pinterest

Neste momento em que todo mundo está passando mais tempo em casa, muita gente resolveu dar uma “cara nova” aos ambientes. Com isso, a decoração afetiva vem ganhando cada vez mais adeptos, e não existem muitas regras quando se fala deste tipo de décor. O importante é escolher itens com significado e fazer, com eles, uma composição harmônica.

Uma das principais vantagens é o baixíssimo investimento. Basta fazer um “garimpo” na sua própria casa e olhar com mais carinho pra alguns objetos e, se necessário, dar uma repaginada nos itens.

A decoração afetiva traz lembranças e memórias para os moradores da casa. Segundo o designer de interiores Regilano Dornelas este tipo de decoração vem se tornando uma tendência porque “as residências já deixaram de ser apenas um abrigo, elas carregam um pouco da personalidade e da história de quem reside ali”.

Como aderir à decoração afetiva sem abrir mão da modernidade

Decoração afetiva
Itens da infância dos moradores também podem desempenhar novas funções na decoração. Crédito: Reprodução Pinterest

Regilano Dornelas

Designer de Interiores

“Sabe aquela cadeira antiga da vovó? Dê aquela repaginada e a reutilize no canto da sala que geralmente já conta com elementos mais modernos”

Não só de fotos de família vive a decoração afetiva. Lembranças de viagens e lua de mel são peças muito recomendadas para este segmento de décor. “Toda vez que o morador se depara com aquela lembrança adquirida na viagem, ele resgata a memória e pode reviver aquele momento”, afirma Regilano.

Outra dica importante é treinar o olhar para não desperdiçar objetos interessantes. “Uma vitrola ou máquina de escrever trás todo um charme vintage para a decoração. O pedal da máquina de costura da bisa pode virar um lindo aparador ou apoio para a cuba de um lavabo”, complementa o profissional.

Além disso, aposte em jogos de louça, obras de arte, tapetes, fotografias e livros. Um dos diferenciais dessa decoração é que ela proporciona uma identidade única, mesmo que o espaço conte com tendências atuais. Não há regras, basta ser criativo e dispor os elementos de acordo com o estilo do cômodo. O segredo está no equilíbrio.

“Eu amo misturar os estilos. Sabe aquela cadeira antiga da vovó? Dê aquela repaginada e a reutilize no canto da sala, que geralmente já conta com elementos mais modernos”, finaliza Regilano.