Blog, Costura

Confederação Brasileira de Rugby anuncia dois novos patrocinadores

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) anunciou dois novos patrocinadores. O primeiro deles é a testfy, uma healthtech brasileira que opera desde o ano 2000 e conecta serviços laboratoriais em modelos acessíveis de coleta como saliva, swab ou sangue em microtubo ou papel-filtro.

Na parceria com a CBRu, envolve as Seleções Masculina (Tupis) e Feminina (Yaras) e a franquia Cobras Brasil XV, que são submetidos a uma rotina de testes de Covid antes das viagens e dos jogos. O trabalho é coordenado pelos especialistas da testfy, do Departamento Médico da Confederação e das comissões organizadoras das competições.

“É uma honra integrar esta retomada gradual do esporte, sempre com a premissa de respeitar todos os critérios dos protocolos sanitários. O ano do rugby brasileiro é especial com os Jogos Olímpicos e importantes competições internacionais à vista. Nossa empresa quer ajudar a CBRu a gerenciar suas atividades com o máximo de segurança exigida”, disse o CEO da testfy, Gustavo Janaudis.

Neste mês, alguns atletas da franquia Cobras Brasil XV acusaram Covid a poucos dias da Superliga Americana de Rugby (SLAR). Todos os contaminados estão isolados, com sintomas leves, e monitorados diariamente pelo Departamento Médico da CBRu e pelos técnicos da testfy.

A outra parceira envolve o uniforme do time Cobras Brasil XV. As peças que a equipe está vestindo na SLAR foram confeccionadas pela marca esportiva Sanrad. Fundada em 1994 em São José dos Campos, a empresa iniciou seus laços com o rugby nos anos 2000. Atualmente está presente em mais de 200 clubes da modalidade espalhados nas cinco regiões do país e em 14 dos times masculinos e femininos que disputarão este ano os principais torneios promovidos pela Confederação.

“Desenvolvemos um produto de qualidade a partir de consultas a atletas e técnicos de ponta. O uniforme de rugby é completamente pensado em performance e resistência, utilizamos seis máquinas de costura para fabricar uma camisa de rugby, enquanto uma camiseta convencional, exige apenas duas máquinas de costura”, comentou o diretor executivo da Sanrad, Ademir Cardoso.

A Sanrad comercializará no mercado uma réplica do uniforme de jogo para uso casual.