Ceará dobra aposta no algodão do Apodi – Egídio Serpa

  • por

Na Chapada do Apodi, na geografia dos municípios de Limoeiro do Norte e Quixeré, o Governo do Ceará, por meio de sua Secretaria Executiva do Agronegócio, que integra a estrutura da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (Sedet), está dobrando sua aposta no projeto de revitalização da cultura do algodão, que também se implementa no sertão central e no Cariri. Neste ano, o projeto – ao qual aderiu uma grande empresa industrial do setor têxtil, que bancou os custos da colheita mecanizada – ocupou uma área de 300 hectares; em 2021, com a adesão de uma gigante do setor, a Agrícola Famosa, a expectativa é de que, no mínimo, serão plantados 600 hectares da mesma semente de algodão desenvolvida pela Embrapa, cujos técnicos seguem prestando consultoria ao empreendimento.

Ontem, durante uma reunião por videoconferência, o coordenador do projeto, Euvaldo Bringel, explicou que a perspectiva de curto prazo “é muito otimista”.

Ele explica que o projeto na Chapada do Apodi será, de novo, desenvolvido em agricultura de sequeiro, aproveitando a pluviometria da próxima estação de chuvas, que deverá ser na média ou acima da média histórica. As empresas apoiadoras do projeto novamente custearão as despesas da colheita da safra de 2021, que usará máquinas mais modernas do que as utilizadas neste ano.

A produtividade alcançada nos 300 hectares plantados no Apodi em 2020 foi semelhante a das regiões produtoras do Oeste da Bahia e do Mato Grosso, o que atraiu o interesse da Agrícola Famosa, que está igualmente associada ao empresário Alexandre Sales em um projeto de cultivo de trigo, cujos primeiros resultados foram espetaculares, superando os dos estados do Sul do País. Tudo está a indicar que a Chapada do Apodi será a Califórnia cearense.

Senai no presídio

Festa no IPPO. Ontem, o engenheiro Paulo André Holanda, diretor-regional do Senai-Ceará, e seu assessor Walaci Fialho, emocionaram-se no ato de entrega dos primeiros 1.250 de 4 mil fardamentos confeccionados pelos internos do sistema prisional cearense. Fruto dos cursos profissionalizantes de padeiro, serralheiro e costureiro ministrados por professores do Senai, que, por sua vez, são assistidos por dois psicólogos. Os cursos qualificam 3.600 internos de oito unidades penitenciárias cearenses. São resultado da parceria – celebrada neste ano – da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) com a Secretaria de Administração Presidiária do Governo do Estado, com recursos do Fundo Penitenciário da União. Eis o correto caminho para a ressocialização.

Um evento digital, por videoconferência, é gerador de negócio? Responde Enid Câmara, coordenadora da Expolog, Feira Internacional de Logística, que se realizará em Fortaleza nos dias 9 e 10 de dezembro, de modo virtual: “Gera bons negócios, mas também conhecimento técnico e científico”. Foram abertas as inscrições. Grátis.

Começa hoje mais uma reunião do Copom – Comitê de Política Monetária do Banco Central. Amanhã, o Copom anunciará a nova taxa básica de juros Selic que hoje está em 2% ao ano. Apostam os economistas que essa taxa será mantida, mas o seu viés será de alta, pois a tendência da inflação é ascendente. Já faltam insumos na indústria.