Brocado da etnia Li auxilia no aumento da renda na província de Hainan

  • por

Zhang Chaoying, uma moça da etnia Li da província de Hainan, no sul da China, é uma celebridade na internet. Ela vende o brocado da etnia Li em plataformas de transmissão ao vivo de comércio eletrônico. Trata-se de um patrimônio cultural imaterial nacional do país. A técnica já tem uma história de quase três mil anos, sendo considerada como um “fóssil vivo da história têxtil chinesa”. Entretanto, devido aos trabalhos demorados e intensivos, a técnica corria o risco de virar peça de museu.

Como uma nativa da etnia Li, Zhang Chaoying voltou à sua terra natal em 2016 e criou uma cooperativa para se dedicar ao design e à venda de artesanatos com o brocado dos Li. Ela espera aproveitar a oportunidade para deixar mais pessoas conhecerem o charme cultural dessa técnica têxtil tradicional. Diante das dificuldades de transporte, falta de fundos e impactos da tecnologia têxtil moderna, Zhang Chaoying combinou o brocado dos Li com o design de moda e casa.

Em 2019, a cultura do brocado dos Li está cada vez mais popular entre os internautas, graças à propagação por meio de redes sociais. Zhang Chaoying gravou muitos vídeos de canto e dança em diferentes lugares de Hainan e interagiu com internautas. Além disso, ela também criou um curso de treinamento gratuito para ajudar as mulheres locais a dominarem a técnica de brocado e venderem suas obras. No ano passado, os moradores locais concretizaram um aumento anual de renda em mais de três mil yuans, graças ao brocado dos Li.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Diego Goulart