Banco é condenado a pagar R$ 425 milhões

  • por

Crédito: Reprodução

O terceiro maior banco privado da Suíça, Julius Baer, assinou um acordo para cobrir suas multas pelo envolvimento em casos de corrupção na FIFA, que explodiram em 2015 e levaram vários cartolas da entidade para a prisão.

Segundo o que foi divulgado pela própria empresa na última segunda-feira (9), o acordo foi feito com a justiça dos Estados Unidos para o pagamento de R$ 79,7 milhões (R$ 425 milhões) pela suspensão da acusação que durava três anos.

“Julius Baer antecipa que em breve formalizará uma resolução final sobre este assunto com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos”, publicou a assessoria do banco.

Acompanhe as notícias do seu time do coração pelo Facebook

O Julius Baer passou a ser investigado em 2017, quando um de seus ex-banqueiros foi condenado por gerenciar contas que lavavam dinheiro da FIFA na Suíça. Parte dos valores eram advindas de suborno de cartolas, sendo um deles o argentino Julio Grondona, que morreu em 2014 e é ex-presidente da AFA (Associação de Futebol da Argentina).

A Suíça conta atualmente com uma agência reguladora de bancos, e a Julius Baer havia sido punida pela mesma em fevereiro deste ano, por isso, segundo a imprensa, acelerou a costura do acordo com a Justiça.

Leia mais:
Calendário, desfalques e culpa para Tite: times brasileiros seguem sendo desfalcados pela Seleção

CBF estuda instalar câmeras na linha do gol para o Brasileirão 2021

De fuga e insegurança a destaque e titularidade: como Patrick de Paula saiu de comunidade no RJ para se tornar peça-chave no Palmeiras