Blog

Aumento de 125% em expedições de e-commerce em período de promoções face a 2019

O e-commerce veio para ficar e a pandemia veio apenas acelerar esta tendência nos hábitos de consumo dos portugueses. Entre 1 de novembro, data em que se iniciou o período de promoções das marcas com uma Black Friday antecipada, e 11 de dezembro, a Garland viu o número de expedições de e-commerce aumentar 143% face aos dois meses anteriores (sem promoções) e 125% face ao mesmo período do ano passado. Durante este período de 2020, foram efetuadas 12.500 expedições, sendo os bens dos sectores alimentar e têxtil os preferenciais dos portugueses.

Um crescimento que a empresa portuguesa prevê acentuar-se até final de fevereiro com as encomendas de Natal e durante os saldos.

A tendência ascendente é mais acentuada quando falamos de artigos de moda, em que, no período de promoções, o número de expedições aumentou 161% face aos dois meses anteriores (sem promoções) e 129% face a mesmo período do ano passado.

A totalidade das expedições de bens alimentares registadas no último mês e meios tiveram o mercado interno como destino, metade das quais para a região de Lisboa e Vale do Tejo. Por sua vez, os artigos têxteis destinaram-se a Portugal (66%) e países como China (4%), Estados Unidos (4%) ou Reino Unido (3%).

Entre 1 de novembro e 11 de dezembro, o número de unidades expedidas ascendeu a 29.500, mais 118% e mais 138% que em igual período do ano passado.

As operações logísticas no período de promoções deste ano, apesar de mais intensas, que implicou o reforço da equipa em mais de uma dezena de pessoas envolvida no e-commerce da Garland, exigiram precauções acrescidas, nomeadamente, alterações operacionais para reduzir o risco de contágio de covid-19, segundo o Plano de Contingência da empresa, implicando regras de higienização, desfasamento de turnos e circulações, distanciamento e uso de máscara. De forma a garantir continuidade das operações em caso de infeção, foram criadas células de trabalho, contemplando separação física de colaboradores em termos sociais e criação de planos de contingência com hierarquias de rendição das células.

Garland aumenta capacidade

Em apenas quatro anos, a Garland aumentou de 6.000 metros quadrados para 20.400 metros quadrados a área dedicada à logística de e-commerce, transformando-se num dos principais players nacionais no negócio. A aposta na expansão de infraestruturas dedicadas à atividade de e-commerce acompanha o crescimento do volume de negócios que a empresa regista nesta atividade. Em 2019, a Garland Logística faturou mais 85% relativos a operações de comércio eletrónico face ao ano anterior.

Atualmente, a Garland dispõe de 20.400 metros quadrados dedicados exclusivamente a atividades de e-commerce, distribuídos por Cascais, Aveiro, Vila Nova de Gaia e Maia, localidades em que a empresa tem instalados seis centros logísticos, num total de 85.000 m2 de área logística.

Com uma carteira de clientes, em que predominam marcas líderes em moda, entre as quais a Farfetch (desde 2017), a pandemia causada pela propagação do novo coronavírus veio diversificar os sectores de atividade a que a Garland presta serviços de comércio eletrónico, passando a integrar também marcas da área alimentar.

Antecipando o enorme crescimento que o comércio eletrónico terá no futuro, a Garland viu já “aprovados investimentos significativos, estando projetada para breve a abertura de um novo centro logístico na zona Norte de Portugal”, como informa Ricardo Sousa Costa, administrador do Grupo Garland, responsável pelo negócio da Logística.