Blog, Costura

Artesã busca por sustentabilidade – Diário do Litoral

Autocuidado para as mulheres e sustentabilidade para todo o planeta. É essa a proposta da artesã Jéssica Maria, que se dedica há anos com sua marca: A Libertalhe.

O casamento entre Jéssica e o artesanato, entretanto, não começou com a sua marca, a qual já ‘viajou’ e encantou gente de todos os cantos desse Brasil enorme. A paixão entre profissional e profissão veio de berço, tanto que ela mesma não sabe precisar exatamente quando é que tudo começou, mas tem certeza que foi cedo, bem cedo.

“A costura e a profissão de artesã sempre estiveram presentes na minha vida. Já é de família. Sempre gostei muito, mas nunca imaginei que viraria um trabalho, só em 2019 que decidi fazer um curso básico e me joguei”, afirma.

Inicialmente apenas uma paixão, Jéssica afirma que a necessidade acabou fazendo com que ela transformasse o amor pela arte em seu principal ganho financeiro. Seriam os primeiros passos que a artesã viria a dar antes de criar sua própria marca.

“Tudo se iniciou com necessidade de trabalhar e pagar contas”, conta aos risos. “Em maio de 2019 fui dispensada do último trabalho de CLT e decidi me jogar para a costura e fazia de tudo um pouco, mas a ‘Libertalhe’ só nasceu no início da pandemia. Queria fazer algo que fizesse diferença para quem consumisse, e assim foquei nos absorventes e outros produtos de autocuidado e reutilizáveis”, explica.

Inicialmente, Jéssica começou a produzir seus primeiros absorventes apenas para o seu uso próprio e também para vender após receber pequenas encomendas feitas pelas suas próprias amigas logo quando ela começou a trabalhar com a costura e antes de batizar sua empresa com o nome Libertalhe.

“Faço os ‘Absorventes Reuse’, protetor diário, bolsinhas impermeáveis que auxiliam para transportar absorventes fora de casa. E também alguns produtos para o autocuidado facial: ecopads e faixa para skincare”.

Com o tempo, veio o reconhecimento pelos produtos e Jéssica afirma que a procura começou a se consolidar já nos primeiros meses de trabalho. A chegada da pandemia de Covid-19, em março de 2020, também fez a costureira observar um aumento no número de vendas de itens de todos os segmentos com os quais ela trabalha, mas Jéssica explica que este não foi o único fator que influenciou no aumento dos lucros.

“Hoje em dia tem mais procura sim, mas não só pelo isolamento e pela necessidade de ficar em casa, mas porque as pessoas que menstruam estão buscando alternativas mais saudáveis e confortáveis para esses períodos e com certeza o absorvente de pano atende essas necessidades pois é 100% algodão e além das camadas de absorção tem a camada impermeável que evita vazamentos”.

E o retorno da clientela? Os mais positivos possíveis. Jéssica explica que recebe retorno dos mais diferentes tipos todos os dias. Cada um de pessoas que compraram os produtos por vários motivos e acabaram descobrindo benefícios que não haviam previsto.

“Recebo vários feedbacks incríveis. Pelo conforto, zero alergia e economia, pois os absorventes dependendo do cuidado duram de quatro a seis anos e os absorventes descartáveis, além de ter que comprar todo mês, são feitos com plástico, muita química, levam 100 anos para se decompor e faz muito mal para saúde ginecológica. É uma troca em que tanto o corpo, quanto o bolso e o planeta agradecem”.

O sucesso, aliás, já vem tornando a caiçara conhecida em todas as regiões do País e agora ela espera, quem sabe, começar a enviar produtos da Libertalhe até mesmo para o estrangeiro.

“A Libertalhe já viajou para todo o Brasil. Do Norte ao Sul. Acho que o lugar mais longe foi Natal, no Rio Grande do Norte”.

Para quem quiser encontrar a Jéssica e conferir o catálogo de sua marca, basta acessar as redes sociais da sua empresa no Instagram pelo perfil @libertalhe ou mandar mensagem para o WhatsApp (13) 9-9714-9726. Além disso, a marca também tem seu próprio portal, o www.libertalhe.com.br.