Após um ano do incêndio que destruiu a Idol Calçados, empresários comemoram a retomada das atividades

  • por

Há exatamente um ano, no dia 03 de setembro de 2019, um incêndio de grandes proporções destruiu a Idol Calçados no município de Lacerdópolis. Foi por volta das 5 horas que vizinhos observaram fumaça saindo de uma janela da indústria. De imediato, os proprietários foram informados e acionaram os Bombeiros.

Equipes de Capinzal, Joaçaba e Catanduvas estiveram empenhadas na ocorrência. A grande quantidade de material altamente inflamável dificultou no trabalho, sendo que 12 Bombeiros trabalharam por mais de 5 horas no combate do fogo e o rescaldo. As causas ainda são descomedidas.

Uma mistura de sentimentos tomou conta dos empregados e proprietários. Por um lado, de agradecimento pelo fato de ter sido apenas danos materiais e por outro a perda de tudo aquilo que foi conquistado ao longo de 23 anos. Tudo foi consumido pelas chamas, maquinários como, robô, injetoras, máquinas programáveis, máquinas de costura, de corte entre outras e todo o estoque para a produção. O prejuízo foi estimado em aproximadamente R$ 5 milhões.

Considerada uma das maiores do município de Lacerdópolis, a indústria empregava diretamente na época 70 funcionários e mais 30 internos no Presídio Regional de Joaçaba. A produção girava em torno de 33 mil pares de calçados mês, com uma média de 1.800 por dia.

Depois de um ano do ocorrido, a reportagem da Rádio Capinzal conversou com os proprietários Cezar Dall’Oglio e o filho André os quais destacaram que desde o fato foram enfrentadas muitas dificuldades, mas com determinação, empenho e apoio de diversos parceiros a empresa conseguiu dar a volta por cima.

Uma empresa foi alugada na cidade de Caçador onde a Idol deu sequência na produção. André e outros 15 funcionários permaneceram longe de casa até o mês de abril e após a conclusão do novo barracão e a instalação dos maquinários, em maio retornaram com as atividades em Lacerdópolis.

Cezar conta que a empresa produz 1.200 pares de calçados por dia, sendo que o novo projeto e com a instalação de equipamentos modernos e automatizados, possibilitará aumentar a produção diária para 2 mil pares. Hoje, a indústria conta com 65 colaboradores e mais 25 produzindo no Presídio Regional de Joaçaba.

“Não foi fácil, mas dentro das dificuldades aprendemos muitas coisas e, graças a Deus, estamos muito felizes. Estamos crescendo aos poucos e a gente vê um futuro melhor ainda”, destacou Cezar.

André também se mostra otimista com as novas oportunidades e destacou que mesmo com a pandemia do novo coronavírus, o mercado tem sido muito positivo. Citou que depois do ocorrido, muitas portas se abriram. A meta da empresa é crescer gradativamente.

(clique e relembre o incêndio)