fbpx

Alta-costura: melhores looks e momentos da semana de couture – Revista Marie Claire

Alta-costura 2020: um resumo da primeira semana digital de couture (Foto: Divulgação)

Depois de Londres fazer uma semana de moda digital um tanto morna em junho (pouco se falou sobre os designers ou os conteúdos e coleções apresentados na plataforma digital construída para o evento), a alta-costura mostrou que talvez o único jeito possível de chamar a atenção de um público descentralizado é com drama, escapismo e sonho. 

Enquanto a pandemia interrompeu as fashion weeks como um todo, com as celebridades, as festas e superdesfiles, os designers da alta-costura puderam abordar a exibição de suas coleções de novas maneiras. E foi justamente neste contexto que, ironicamente, a alta-costura — a camada mais exclusiva da moda, coms peças milionárias, que vinha sendo objeto de discussão há anos por sua inacessibilidade e consequente falta de conexão com o mundo real — mostrou sua relevância muito mais que o prêt-à-porter, nicho que vive uma crise econômica e ética sem precedentes. 

Nesta semana vimos designers proporem como será a moda na era digital no futuro, casando conhecimento artesanal e tradicional de moda com tecnologia. As novas soluções para desfiles de moda variaram de avatares animados como fizeram Ralph and Russo, teatros de moda itinerantes em miniatura na Dior e uma apresentações a bordo do rio Sena, respeitando distanciamento social, como fez Olivier Rousteing na Balmain.

Embora os lookbooks online não possam se comparar às passarelas parisienses a semana de alta costura apresentou o que os espectadores da moda desejam há algum tempo: novidade e sonho. A seguir, resumimos os destaques com, claro, os melhores looks, da semana de moda de alta-costura. 

Chanel

Com 30 looks apresentados em vídeo e um lookbook, Virginie Viard se inspirou mais em Karl que Coco. Para o inverno 2020 da alta-costura, a estilista buscou referências dos anos 80 do seu mentor Karl Lagerfeld, de quem foi braço direito até assumir a criação da maison em 2019, depois da morte do kaiser. Os elementos clássicos da Chanel — que Karl atualizou e tornou objeto de desejo — aparecem mais punk, irreverentes e enérgicos, com bordados, plumas, pérolas e maxibijús produzidas pelos ateliês dos métiers d’art, cada um especializado em uma função específica, que vão desde plumas, passando por bordados, botões, bijús e até camélias. A princesa punk encarnada por Adut Akech, com vestido romântico com rendas que lembram o gótico vitoriano e corset bordado foi nossa favorita. 

Alta-costura 2020: a princesa punk da Chanel (Foto: Divulgação)

Alta-costura 2020: a princesa punk da Chanel (Foto: Divulgação)

Dior

Alta-costura 2020: releitura do New Look e uma reflexão sobre o início da maison Dior (Foto: Divulgação)

Alta-costura 2020: releitura do New Look e uma reflexão sobre o início da maison Dior (Foto: Divulgação)

Como faziam as grandes maisons de alta-costura no pós-Guerra com o Thêatre de La Mode — uma versão em miniatura e itinerante da coleção, que viajava o mundo até as clientes — a Dior apresentou as inspirações e looks de sua couture inverno 2020 em um fashion film mitológico. Como sempre, a inspiração de Maria Grazia Chiuri foram artistas mulheres. Para esta coleção, foram cinco surrealistas que repensam a imagem do corpo feminino sob a ótica do movimento artístico como Cindy Sherman, Lee Miller e Dorothea Tanning. Outro aspecto importante que Maria Grazia retomou foi ligar o contexto de crise que vivemos com início da maison Dior, que foi fundada em 1947, após a Segunda Guerra Mundial. Por isso, talvez um dos looks que melhor resuma a apresentação seja o vestido que retoma a silhueta do New Look, unindo a icônica bar jacket com uma saia. 

Ralph & Russo 

Alta-costura 2020: Ralph & Russo traz a couture em avatar digital (Foto: Divulgação)

Alta-costura 2020: Ralph & Russo traz a couture em avatar digital (Foto: Divulgação)

Com uma modelo virtual batizada de Hauli que significa força e poder na língua suaíli, uma das mais faladas na África Oriental, Ralph and Russo fez o que ninguém neste momento pode fazer: viajar. Depois de confeccionadas, as roupas foram recriadas digitalmente para o vídeo que mostra Hauli passeando pelas 7 maravilhas do mundo. 

Viktor & Rolf

Alta-costura 2020: o vestido emoji e a coleção irreverente e divertida de Viktor & Rolf (Foto: Divulgação)

Alta-costura 2020: o vestido emoji e a coleção irreverente e divertida de Viktor & Rolf (Foto: Divulgação)

Couture-viral é com eles mesmo. Conhecidos pelo recorte irreverente e extravagante da alta-costura, a dupla holandesa não deixou a pandemia afetar o bom-humor das coleções que não só rendem bons posts nas redes sociais, como trazem discussões sobre nosso momento socio-cultural. Desta vez, eles fizeram statement sobre a necessidade de otimismo e transcendência através da moda. Os destaques ficaram com os vestidos de estampa de emoji

Balmain

Alta-costura 2020: Balmain e seu desfile democrático e com distanciamento social  (Foto: Divulgação)

Alta-costura 2020: Balmain e seu desfile democrático e com distanciamento social (Foto: Divulgação)

A Balmain foi a única maison de couture a fazer um desfile nesta temporada. Criativo, Olivier Rousteing bolou uma apresentação a bordo de um barco no rio Sena, respeitando distanciamento social, que reforçou o DNA parisiense da marca e democratizou a couture (o desfile pode ser visto por qualquer um que estivesse à beira do rio). Sob o sol, ao ar livre, modelos apresentaram não apenas novidades da coleção de alta-costura como antigos designs do próprio Pierre Balmain. Impossível não se apaixonar pelo vestido de plissados com luvas de ópera. 

Alexandre Vauthier

Alta-costura 2020: Alexandre Vauthier inspira um retorno da vontade de se vestir (Foto: Divulgação)

Alta-costura 2020: Alexandre Vauthier inspira um retorno da vontade de se vestir (Foto: Divulgação)

No lugar de um show, Vauthier convidou dois fotográfos e um videomaker — Karim Sadli em Paris, Inez e Vinoodh em Nova York e Alberta Moya —  para criar histórias visuais com suas roupas. Com um glamour oitentista fotografado em modelos dentro de casa, o estilista nos lembra da máxima “a vida é muito curta para usar roupas sem graça”. A exemplo dos ball gowns cheios de plumas. 

%d blogueiros gostam disto: